Política

Bolsonaro nega à PF plano golpista contra Moraes e diz que Do Val deve ‘responder por seus atos’

O ex-presidente teve de prestar esclarecimentos à corporação pela quarta vez neste ano

O ex-presidente Jair Bolsonaro. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Jair Bolsonaro negou, em depoimento à Polícia Federal nesta quarta-feira 12, ter discutido um plano golpista com o senador Marcos do Val (Podemos-ES) e o ex-deputado Daniel Silveira. Ele confirmou, porém, ter se reunido com os dois aliados no Palácio da Alvorada.

Os investidores queriam saber o nível de envolvimento de Bolsonaro em uma confusa trama descrita por Do Val em fevereiro deste ano. Naquela ocasião, o senador disse ter sido chamado por Silveira para gravar ilegalmente o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. A intenção seria forçar uma declaração comprometedora do magistrado que servisse de pretexto para uma ruptura.

“Nada aconteceu no dia 8 de dezembro. Até porque não tinha nenhum vínculo com o senhor Marcos Do Val, talvez fotografia, o que é comum entre nós. Nada foi tratado, não tinha nenhum plano, naquela reunião de aproximadamente 20 minutos, para alguém gravar o ministro Alexandre de Moraes”, disse Bolsonaro após a oitiva.

O ex-presidente ainda afirmou que a transição entre o seu governo e o de Lula “foi pacífica” e que “ninguém do PT questionou que não foi bem recebido e teve acesso”.

“Ele (Do Val) que responda pelos atos dele”, emendou.

Após a denúncia original, Do Val apresentou diversas versões conflitantes sobre o suposto plano. Em junho, ele se tornou alvo de uma operação da PF para buscar e apreender provas da trama. A coleta de documentos foi autorizada por Moraes e chegou a contar com um pedido de prisão apresentado pela corporação, mas barrado pelo ministro.

Em suas idas e vindas, Do Val chegou a dizer que Bolsonaro  indicou concordância com a ideia golpista. Em outro momento, recuou e afirmou que o ex-capitão “ouviu tudo e ficou calado”.

Ao prestar depoimento à PF em fevereiro, o senador declarou que Bolsonaro não teria demonstrado contrariedade ao plano.

Jair Bolsonaro já havia prestado três depoimentos à Polícia Federal neste ano:

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.