HomeCartaExpressa

CartaExpressa

O grande traidor deste País se chama Jair Bolsonaro, diz Santos Cruz

'Ele traiu todas as promessas de campanha. Traiu um País inteiro', acusou o general da reserva

Mario Frias contrata por R$ 3,6 milhões empresa sem funcionários e com sede em caixa postal, diz jornal

A dona não soube fornecer detalhes do serviço para o qual foi contratada. Limitou-se a dizer que seria para 'demolir um prédio lá no Rio'

Rachadinhas: ex-assessor de Carlos Bolsonaro diz que nunca teve crachá

Gilmar Marques disse ao MP que não se recorda dos nomes de colegas de trabalho, nem se havia folha de ponto

NY Times alerta para ‘desertificação do Nordeste brasileiro’ e expõe responsabilidade de Bolsonaro

O jornal apresentou uma foto de uma olaria no Rio Grande do Norte e destacou como as necessidades econômicas têm contribuído para a seca

Entrevista de Lula ao Podpah supera 3,4 milhões de views e 310 mil menções, diz FGV

Na entrevista, Lula afirmou processará Sergio Moro e integrantes da força-tarefa da Lava Jato

Barroso vota para manter preso o caminhoneiro bolsonarista Zé Trovão

Trovão se apresentou à Polícia em outubro depois de ser considerado foragido

IstoÉ/Sensus: Lula lidera disputa para 2022, teria 50,8% dos votos válidos e poderia vencer no 1º turno

O vice-líder da pesquisa é Jair Bolsonaro (PL), com 24,2%, seguido por Sergio Moro (Podemos), com 7,5%, e Ciro Gomes (PDT), com 5,3%

Guedes ignora recessão, repete que a economia ‘voltou em V’ e diz que o Brasil ‘está de pé’

'Senhores, a recuperação em V já aconteceu, acabou. O PIB já voltou', afirmou o ministro

Terceiro dia de julgamento da boate Kiss é marcado por discussão e interrupção da sessão

Uma confusão marcou o terceiro dia de julgamento sobre o caso da boate Kiss e chegou a interromper a sessão no Foro Central de Porto Alegre, nesta sexta-feira 3. O primeiro a ser ouvido foi o gerente da loja onde foram comprados os artefatos pirotécnicos que deram ao início ao incêndio na boate, Daniel Rodrigues da Silva. Durante seu depoimento, o gerente disse que os artefatos Sputnik e Chuva de Prata, usados no dia do incêndio, não podem ser usados dentro de locais fechados. "O uso indoor por si só é perigoso", afirmou, ao ser questionado pelo juiz Orlando Faccini Neto. O artefato foi comprado por um dos réus, Luciano Bonilha, produtor e auxiliar de palco da banda Gurizada Fandangueira. Ainda segundo o gerente, Luciano foi orientado sobre a utilização correta dos fogos. "O funcionário teve o diálogo com o Luciano, sempre instruímos". O fogo do tipo Sputnik deve ser acionado à distância e possui instruções na embalagem, detalhou o depoente. Questionado pela defesa de Luciano Bonilha, Daniel detalhou o funcionamento de diferentes tipos de artefatos. A defesa questionou, por exemplo, se o funcionário que fez a venda poderia ter vendido um artefato chamado vela indoor no lugar de um dispositivo chuva de prata, que foi usado durante a festa, e cujas faíscas iniciaram o incêndio. O desentendimento se deu quando Daniel questionou uma pergunta feita pela defesa de Bonilha sobre fiscalização em sua loja e, depois, se negou a ler o rótulo de uma caixa de fogos de artifício. A sessão chegou a ser interrompida por dez minutos.   Nova confusão entre a testemunha, o advogado Jean Severo (defesa de Luciano) e o juiz Orlando Faccini. Presidente da associação de vítimas, Flávio da Silva, se levanta e discute com advogado. #JuriDaKissNaRBSTV pic.twitter.com/fiWiqlVK4M — Josmar Leite (@josmarleite) December 3, 2021 O caso da boate foi a júri oito anos após a tragédia que matou 242 pessoas e deixou 636 feridas em 27 de janeiro de 2013, na cidade gaúcha de Santa Maria. Todas foram vítimas de um incêndio, que começou no palco, onde se apresentava uma banda, e logo se alastrou, provocando muita fumaça tóxica.  

Lula e PT são ‘imprescindíveis, mas não suficientes’ para frente ampla, diz Dino

Novo quadro do PSB, o governador do Maranhão destacou o papel central que terá o ex-presidente para derrotar Bolsonaro em 2022