Política

Presidente do Conselho de Ética da Câmara se nega a analisar cassação de Lira

Pedido foi rejeitado de forma unilateral após PSOL protocolar representação; colegiado avalia cassação de Glauber Braga

Foto: Marina Ramos/Câmara dos Deputados
Foto: Marina Ramos/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Paulo Azi (União Brasil-BA), negou a análise de um pedido de cassação do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), apresentado pelo PSOL. A rejeição aconteceu nesta terça-feira (21), durante sessão do colegiado, e causou revolta na bancada psolista.

O PSOL acusa Lira de quebra de decoro e abuso de poder por conta da postura do parlamentar alagoano durante uma discussão com o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) no último dia 31. Na ocasião, os dois discutiram em plenário após Glauber questionar se o presidente não teria “vergonha” de articular a privatização da Petrobras nos bastidores.

O pedido foi negado de forma unilateral por Paulo Azi, que não chegou a consultar o plenário sobre a admissibilidade do caso antes de negar a análise do pedido. Azi disse ver no caso “absoluto descabimento” no requerimento e destacou que as condutas apontadas pelo PSOL não apontariam quebra de decoro.

“É um absurdo. O presidente [do Conselho de Ética] criou um precedente gravíssimo, que é ele próprio aceitar ou não as representações, coisa que nunca aconteceu no Conselho de Ética. De qualquer maneira, a forma já é questionável porque o regimento é claro: o presidente designa relator, sorteia e o relator decide se admite ou não. Não é o presidente que decide”, argumenta a deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS).

Melchionna recorreu da decisão em conjunto com o deputado Júlio Delgado (PV-MG), mas os dois terminaram vencidos por um placar de 13 votos a cinco contra o recurso. “Há uma tentativa de blindagem do presidente da Casa, ao mesmo tempo em que há um autoritarismo no caso da representação contra Glauber Braga”, compara a deputada.

A psolista se refere ao pedido de cassação apresentado pelo PL, partido de Lira e Bolsonaro, que colocou Braga na mira da legenda após a discussão dos dois em plenário. Esse outro pedido surgiu dois dias depois do bate-boca dos parlamentares e é alvo de uma apuração atualmente por parte da comissão para saber se houve violação de decoro.

Em conversa com o Brasil de Fato, Glauber destacou que há desproporção na forma de tratar os dois casos. “Isso é uma vergonha. Ele [Azi] está trabalhando como carrasco no meu caso e, no caso do Lira, ele o blindou”, compara.

“No início da sessão [desta terça], eu perguntei por que o nosso caso está andando a jato e o do Lira estava feito tartaruga. No final da sessão, ele fez com que os dois processos andassem a jato, mas, no nosso caso, pra condenar e, no caso do Lira, pra colocar na lata do lixo. É uma vergonha total”.

Questionado sobre os próximos passos da bancada do PSOL após a negativa dada por Paulo Azi, Glauber afirma que o caso ainda está em análise por parte da equipe técnica da sigla.

“Pode-se pensar em um processo de judicialização, exatamente por conta dessa perseguição, que está evidente, mas estamos avaliando pra ver. Na Câmara, nossas medidas ficam mais restritas”.

A discussão

Na discussão do último dia 31, Lira reagiu à fala de Glauber dizendo “eu lhe peço que o senhor se contenha. Faça suas críticas, faça seus comentários. Agora, não venha com palavras de baixo calão”. O presidente da Câmara chegou a ameaçar uso da força.

Os dois bateram boca durante alguns minutos, até que Lira cassou a palavra do psolista e o ameaçou também de sofrer processo no Conselho de Ética. “Eu não vou ser calado por um ditador nesta sessão”, bradou Glauber, que depois foi ameaçado por Lira com a possível adoção de “medidas mais duras para retirá-lo do plenário”.

Na representação apresentada ao Conselho de Ética pelo PSOL no último dia 3, o partido argumenta que Lira teria abusado de suas prerrogativas parlamentares.

Brasil de Fato
Site de notícias e radioagência dedicados à cobertura das lutas sociais, e notícias sobre política, economia, direitos humanos e cultura, sob uma visão popular

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.