CartaExpressa

Moraes determina a apreensão de armas e passaporte de Jair Bolsonaro

Com a decisão, o ex-presidente fica oficialmente impedido de deixar o País durante a investigação

Foto: JOE RAEDLE/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP
Apoie Siga-nos no

O ministro Alexandre de Moraes determinou, na tarde desta quarta-feira 3, a apreensão do passaporte e do porte de armas de Jair Bolsonaro. A decisão ocorre em conjunto à operação da Polícia Federal que realizou ações de busca e apreensão na casa do ex-presidente.

O magistrado também autorizou que armas e munições sejam apreendidas junto com dispositivos eletrônicos, computadores, tablets e celulares. Com a decisão, Jair Bolsonaro fica oficialmente impedido de deixar o País.

As ações fazem parte de uma operação da PF que investiga um esquema criminoso para alterar dados vacinais de Jair Bolsonaro, da sua filha Laura Bolsonaro e de pessoas próximas ao ex-capitão. Além dele, são alvos Marcelo Siciliano, Gutemberg Reis de Oliveira e Mauro Cid, preso na manhã desta quarta-feira.

O ministro do STF também tornou pública a representação da Polícia Federal e o parecer da Procuradoria-Geral da República sobre a investigação. Segundo Moraes, a decisão de tornar pública é necessária dadas as “inúmeras publicações jornalísticas com informações incompletas da decisão”.

Até o momento, seis pessoas foram presas pela operação, incluindo Mauro Cid. Além dele, também foram presos o PM Max Guilherme Machado de Moura, Sérgio Rocha Cordeiro, o secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias, João Carlos de Sousa Brecha, Luis Marcos dos Reis e Ailton Gonçalves Moraes.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.