Política

Gastos de Bolsonaro em motociatas já chegam a quase R$ 3 milhões

Montante está longe de representar o custo total, pois soma custos de apenas a cinco das doze motociatas promovidas pelo presidente

O presidente de Brasil, Jair Bolsonaro, saiu de moto para passear por Brasília e encontrar seus simpatizantes depois de anunciar que testou negativo para a Covid-19 neste sábado, 25 de julho de 2020. AFP
O presidente de Brasil, Jair Bolsonaro, saiu de moto para passear por Brasília e encontrar seus simpatizantes depois de anunciar que testou negativo para a Covid-19 neste sábado, 25 de julho de 2020. AFP

O governo Jair Bolsonaro já gastou 2,8 milhões de reais em motociatas. O montante está longe de representar o total de custos aos cofres públicos, já que até o momento foram revelados apenas os gastos com cinco dos doze passeios de moto promovidos pelo presidente. A informação é do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira 30 com base na Lei de Acesso à Informação.

O valor, segundo o jornal, é a soma das despesas com o cartão de pagamento do governo federal, repassadas pela Secretaria-Geral da Presidência, com o custo que os estados tiveram para garantir a segurança durante o evento.

Nesta quarta-feira 29, ministros do Tribunal de Contas da União estiveram reunidos para deliberar sobre possíveis irregularidades nos gastos de três motociatas promovidas por Bolsonaro. Ao todo, os passeios investigados pela Corte custaram mais de 1 milhão de reais aos cofres brasileiros. O pedido de análise partiu da CPI da Covid e teve como base as aglomerações sem o uso de máscaras causadas pela presença do presidente.

A recomendação dos técnicos do tribunal, segundo o jornal O Globo, era de que o caso fosse arquivado por não existir um regramento sobre quais viagens poderiam ser classificadas ou não como de interesse público. A decisão final cabe aos ministros, que deverão ainda repassar os detalhes da investigação ao Tribunal Superior Eleitoral para apurar se houve ou não campanha eleitoral antecipada nos eventos. As comissões de Fiscalização e Controle da Câmara e do Senado também devem receber as informações.

Confira o gasto de cada motociata revelado pelos estados até o momento:

O governo federal ainda não informou os gastos com cartão corporativo nos eventos de Porto Alegre, Presidente Prudente e Florianópolis. Também afirmaram que as três motociatas em Brasília não tiveram custos ao governo federal. Segundo a Presidência, não é possível revelar detalhes dos gastos por questões de segurança.

A Polícia Militar do Distrito Federal, por sua vez, se negou a informar os custos que envolveram três motociatas em Brasília. Goiás também não informou os gastos, alegando questões de segurança dos equipamentos da corporação. A Polícia Civil goiana decretou sigilo de cinco anos sobre as informações. Uberlândia (MG) e Santa Cruz do Capibaribe (PE) não responderam aos questionamentos do jornal.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!