CartaExpressa

Bolsonaro participa de motociata com apoiadores em Porto Alegre

Bolsonaro participa de motociata com apoiadores em Porto Alegre

Presidente faz novo passeio neste sábado após semana marcada por ataques às eleições, ao STF e à CPI

Presidente Jair Bolsonaro participa de motociata com apoiadores em Porto Alegre neste sábado, 10 Crédito: Reprodução/Facebook

Presidente Jair Bolsonaro participa de motociata com apoiadores em Porto Alegre neste sábado, 10 Crédito: Reprodução/Facebook

Após uma semana marcada por conflitos com membros da CPI da Covid e ataques às eleições e ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Jair Bolsonaro participa na manhã deste sábado, 10, de uma motociata com apoiadores em Porto Alegre. Segundo publicações nas redes sociais, o grupo de manifestantes se concentrava na FIERGS (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul) desde cedo, de onde partiu depois das 10h para o passeio com o chefe do Executivo. Assim como aconteceu em atos anteriores, ele não usa máscara.

Bolsonaro está no Rio Grande do Sul desde a tarde de ontem, quando participou de feira em Caxias do Sul. “(Quanto) às pressões que eu enfrento, fiquem tranquilos, meu couro é grosso” disse ele em discurso aos presentes no evento. A fala repercutiu nas redes sociais também pelo acesso de soluços do presidente durante a fala, como é possível ver no vídeo publicado pelo perfil do Planalto no Twitter (a partir de 2h07). O presidente abriu a sua tradicional live de quinta-feira dizendo que estava “há uma semana” com o ataque e que, por isso, talvez não conseguisse se “expressar adequadamente” na transmissão.

 

De Caxias do Sul, ele partiu para Bento Gonçalves para um jantar com empresários, e nesta manhã foi até Porto Alegre. O presidente está acompanhado de Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, e do deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS).

Durante a semana, cresceu a pressão por uma resposta de Bolsonaro aos indícios de corrupção em seu governo, segundo oitivas da CPI da Covid. A cúpula da comissão enviou uma carta ao presidente pedindo para que ele se manifestasse a respeito das acusações, mas o presidente se negou a respondê-la. O chefe do Executivo também fez novos ataques às eleições com urna eletrônica, repetindo acusações sem fundamento de fraudes e ameaçando, inclusive, a não fazê-las em 2022 caso não seja implantado um sistema de voto impresso. As declarações provocaram fortes reações do presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso.

O encontro faz parte de uma série de eventos em que o presidente busca reforçar a relação com a sua base mais fiel. O presidente já participou de passeios em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Chapecó, em Santa Catarina.

Após a motociata de São Paulo, estimada em ter custado R$ 1,2 milhão aos cofres públicos, Bolsonaro foi multado em R$ 552,71 por não ter usado máscara contra o coronavírus no trajeto. Cenas de aglomeração também foram recorrentes em passeios anteriores.

Ao final do ato, é comum também que Bolsonaro cumprimente apoiadores e discurse à multidão presente. Em Chapecó, ele voltou a criticar medidas de isolamento e afirmou que a CPI da Covid era conduzida por “sete pilantras”. “Temos uma CPI de sete pilantras que não querem investigar quem recebeu o dinheiro, apenas quem mandou o dinheiro. Lamentavelmente, o Supremo decidiu pela CPI, e decidiu também que governadores (fossem desobrigados) a comparecer à mesma. Querem apurar o quê? No ‘tapetão’, não vão levar”, disse na ocasião.

Porto Alegre ainda vive um cenário preocupante da pandemia, apesar de o número de internações ser o menor em cinco meses. A taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade está em 82,85%, segundo dados da prefeitura da capital gaúcha atualizados pela última vez no final da tarde desta sexta, 9. A cidade teve 159.192 casos confirmados da doença e 5.194 óbitos.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem