CartaExpressa

Um ano após o 8 de Janeiro, PF apreendeu quase R$ 24 milhões em bens

A Operação Lesa Pátria, da Polícia Federal, está na 23ª fase

Foto: Divulgação/PF
Apoie Siga-nos no

Os ataques de 8 de janeiro na Praça dos Três Poderes, em Brasília, resultaram na apreensão de ao menos 24 milhões de reais em bens, de acordo com balanço divulgado pela Polícia Federal nesta segunda-feira 8. 

Foram: 

  • 11 milhões de reais em bens;
  • 8 milhões de reais em ônibus apreendidos;
  • 5 milhões de reais em outros veículos.  

O prejuízo dos ataques, entretanto, supera o valor de 20 milhões de reais. 

Até o momento, a Operação Lesa Pátria realizou 23 fases para identificar as pessoas que financiaram e fomentaram a invasão.

Com isso, pelo menos 1.430 pessoas foram presas no último ano. Destes, 248 participaram da invasão e 1.156 estavam no acampamento dos manifestantes. Também foram acusados 8 policiais militares do DF e um financiador.

A PF cumpriu 97 mandados de prisão preventiva, outros 313 mandados de busca e apreensão e realizaram 1.393 prisões em flagrante. 

A Operação é permanente, e deve continuar sobre os quatro grupos envolvidos na invasão: executores, financiadores, autores intelectuais e autoridades públicas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar