CartaExpressa

Comandante do Exército prepara viagem à China

A passagem de Tomás Ribeiro Paiva por Pequim deve ocorrer entre 4 e 14 de julho, com autorização do ministro da Defesa, José Múcio

O comandante do Exército, Tomás Ribeiro Paiva. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O comandante do Exército, general Tomás Ribeiro Paiva, viajará a Pequim, na China, entre 4 e 14 de julho deste ano. A informação consta de uma portaria assinada pelo ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, e publicada em 29 de abril no Diário Oficial da União.

Segundo o despacho, trata-se de uma missão eventual de natureza militar e sem dependentes. Todos os custos, incluindo os deslocamentos, serão bancados pelo Comando do Exército.

O objetivo principal da viagem, segundo o Exército, é “diplomacia militar”. Neste ano, Ribeiro Paiva já visitou a França, a Polônia e os Estados Unidos.

Em 2023, ele viajou a outro integrante do Brics, a Índia, entre 28 de agosto e 2 de setembro. Aquela visita começou com uma cerimônia no Memorial Nacional de Guerra, quando o general prestou homenagem a soldados indianos que morreram em campos de batalha.

Exército

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.