CartaExpressa

Após racha com Ciro, Cid Gomes vai se filiar ao PSB em fevereiro

Um dos principais motivos para o racha entre os irmãos é a discordância de ambos com os rumos do PDT nas eleições municipais deste ano e nas disputas nacionais de 2026

Racha na família Gomes - Cid e Ciro brigaram nas eleições de 2022 e agora travam nova disputa pelo comando do PDT no Ceará - Waldemir Barreto/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O senador Cid Gomes vai deixar o PDT e se filiar ao PSB, em fevereiro. A informação foi confirmada pelo presidente da legenda, Carlos Siqueira, em conversa com CartaCapital.

Ainda de acordo com o líder nacional do partido, a cerimônia de filiação acontecerá no dia 4 de fevereiro, em Fortaleza, capital do Ceará.

A ida de Cid ao partido acontece após um embate político travado com o irmão Ciro Gomes, também pedetista. Um dos principais motivos para o racha entre os irmãos é a discordância de ambos com os rumos do PDT nas eleições municipais deste ano e nas eleições nacionais de 2026.

Cid quer retomar a aliança com o PT no Ceará e propõe uma chapa com os petistas para a eleição municipal de 2024. Ciro discorda e defende que a sigla tenha candidato próprio e seja independente em relação ao governador petista.

A ida de Cid ao PSB atrapalha os planos do PDT nas eleições nacionais. Os partidos estudavam uma federação, que teria como candidato da chapa o atual prefeito de Fortaleza, o cirista José Sarto. O plano passa a ficar inviabilizado.

Para além de Cid, o PSB também deve receber 43 prefeitos que eram do PDT e deixaram a sigla para acompanhar o senador. Dez deputados estaduais que integram a ‘ala de Cid’ no PDT também pretendem fazer o mesmo movimento, mas precisam de anuência judicial para tal. O pedido já foi feito.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.