PTB expulsa Hans River do quadro de filiados: “Profunda indignação”

Partido repudiou declarações de ex-funcionário da Yacows na CPMI das Fake News

Hans River do Rio Nascimento é alvo de representação no Ministério Público Federal por declarações inconsistentes na CPMI das Fake News. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Hans River do Rio Nascimento é alvo de representação no Ministério Público Federal por declarações inconsistentes na CPMI das Fake News. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Política

O PTB expulsou do seu quadro de filiados o ex-funcionário da empresa Yacows, Hans River do Rio Nascimento, após ele ter feito declarações inconsistentes e insultos à jornalista Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S. Paulo, na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News.

Hans River do Rio Nascimento era filiado ao PTB desde março de 2010 e, segundo a legenda, não tinha participação ativa. A decisão de expulsá-lo imediatamente partiu do presidente do diretório paulista e secretário-geral da Executiva Nacional do PTB, o deputado estadual Campos Machado (SP), nesta sexta-feira 14.

Em nota, o partido manifestou solidariedade com a jornalista insultada e recordou que o partido criou o “PTB Mulher”, departamento voltado para a coibição de casos de humilhação e constrangimento contra mulheres.

“O PTB-SP se solidariza com a jornalista Patrícia Campos Mello e expressa a mais profunda indignação e repúdio à atitude desse sujeito que, mesmo filiado ao partido há quase dez anos, nunca teve qualquer participação ativa nos quadros partidários. E desde já, pode considerar-se expulso do PTB”, afirmou o presidente do diretório paulista.

Na quinta-feira 13, a relatora da CPMI das Fake News, deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) entrou com uma representação contra Hans River, por ter prestado informações inverídicas aos parlamentares.

Hans River do Rio Nascimento depôs na CPMI na terça-feira 11, após convocação relacionada a publicações no jornal Folha de S. Paulo sobre o uso fraudulento de disparos em massa pelo WhatsApp, durante as eleições presidenciais de 2018.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem