Justiça

Pacheco confirma que pautará PEC para fixar mandatos de ministros do STF

O presidente do Senado mencionou a proposta na abertura dos trabalhos do Congresso em 2024

Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão solene destinada a inaugurar a 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 57ª Legislatura. Mesa: vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin; presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Foto: Pedro França/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), confirmou na abertura dos trabalhos do Legislativo que pautará a PEC que fixa mandatos para ministros do Supremo Tribunal Federal.

Ao mencionar a proposta, nesta segunda-feira 5, ele afirmou ser importante “combater privilégios”. Atualmente, a legislação estabelece que membros do Judiciário, a exemplo de ministros do STF, serão aposentados compulsoriamente ao completarem 75 anos.

Existem duas propostas sobre o tema em andamento no Senado: um texto de autoria de Plínio Valério (PSDB) fala em estabelecer mandatos de oito anos, enquanto a matéria encabeçada por Flávio Arns (PSB) defende mandatos de 15 anos.

Além disso, Pacheco reagiu a recentes operações da Polícia Federal contra deputados e disse que “proteger os mandatos parlamentares é proteger as liberdades”.

A declaração é uma referência a decisões do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que fecharam o cerco de investigações da PF contra aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em 18 de janeiro, o magistrado mandou a corporação buscar e apreender materiais do deputado Carlos Jordy (PL-RJ), líder da Oposição na Câmara. Aquela etapa da Operação Lesa-Pátria buscava identificar mentores intelectuais e responsáveis por planejar, financiar e incitar os atos golpistas de 8 de Janeiro.

Na semana seguinte, foi a vez de o deputado bolsonarista Alexandre Ramagem (PL-RJ) ser alvo de uma batida policial autorizada por Moraes. O ex-chefe da Agência Brasileira de Inteligência teve seu gabinete da Câmara e outros endereços visitados pela PF em uma investigação sobre o suposto esquema montado para espionar adversários de Bolsonaro.

No seu discurso, Pacheco ainda listou como prioridades do Congresso as discussões sobre a inteligência artificial, o fim da reeleição, a regulamentação da reforma tributária e a otimização dos gastos com dinheiro público.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo