Política

Lula reúne Lira e Renan no palanque e libera R$ 565 milhões para obra no sertão de AL

O Planalto estima que a obra beneficiará cerca de 240 mil pessoas, em 19 municípios

Foto: Reprodução/CanalGOV
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) assinou nesta quinta-feira 9 uma ordem de serviço que libera 565 milhões de reais para a quinta etapa do canal do Sertão Alagoano. A obra é parte do Novo PAC

A cerimônia ocorreu em São José da Tapera (AL) e reuniu no palanque de Lula dois históricos adversários locais: o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o senador Renan Calheiros (MDB-AL). É a primeira vez que o petista visita Alagoas no atual mandato.

“A seca é um problema da natureza, mas a falta d’água é vergonha de quem governa o País ou o estado”, afirmou Lula em seu pronunciamento.

O Palácio do Planalto estima que a obra beneficiará cerca de 240 mil pessoas em 19 municípios e gerará 800 empregos diretos e indiretos.

Atualmente, mais de mil agricultores usam as águas do canal, criado em 1992, para a produção. Os quatro primeiros trechos concluídos totalizam 123,4 quilômetros em operação. 

A quinta etapa deve completar 150 quilômetros, para contemplar os municípios de São José da Tapera, Monteirópolis e Olho D’Água das Flores. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Infraestrutura de Alagoas, a nova fase permitirá a irrigação de cerca de três mil hectares, na região do Agreste e da Bacia Leiteira. 

Ao lado de Arthur Lira, Lula destacou a importância da aliança entre o Congresso e o Executivo para a aprovação de projetos do governo. “Eu sou muito grato ao que o Senado e a Câmara têm feito pelo nosso governo.”

Na sequência, afirmou que, apesar das divergências, a comunicação entre os Poderes segue intacta. 

“É assim que a gente governa o País. Quem é presidente não pode ficar escolhendo inimigo, não tem que destratar opositor ou partido contrário. Tem que ser o exemplo de decência, dignidade e comportamento civilizado. É assim que vamos consertar este País.”

Apesar de Lira ter sido vaiado pela plateia, Lula continuou a defender união e mencionou a viagem ao Rio Grande do Sul. Ele ressaltou que a ocasião serviu para mostrar que “as diferenças na época da eleição não valem nada” quando é necessário “cuidar do povo”.

Também participaram da solenidade em Alagoas, entre outros, o ministro dos Transportes, Renan Filho (MDB), e o governador Paulo Dantas (MDB).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo