CartaExpressa

Lula conversa com premiê da Espanha e volta a cobrar finalização no acordo UE-Mercosul

O petista chegou a reforçar as críticas em torno das exigências adicionais do bloco europeu

Foto: Thomas COEX / AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a ressaltar, nesta sexta-feira 3, a necessidade de acelerar a conclusão do acordo entre o Mercosul e a União Europeia, durante conversa ao telefone com o presidente de governo da Espanha Pedro Sánchez. A ligação durou cerca de 30 minutos, segundo informou o Palácio do Planalto.

Na conversa, o petista chegou a reforçar as críticas em torno das exigências adicionais do bloco europeu. Neste caso, a Europa deseja garantir que a exportação de commodities que não respeitam regras ambientais seja passível de sanções. A ideia se baseia na legislação europeia sobre o meio ambiente, algo que o governo brasileiro considera excessivamente rígido.

Outro ponto mencionado por Lula é a resistência do Mercosul em abir mão das compras governamentais diante da necessidade de reindustrialização do Brasil e dos países-membros do bloco. Este mecanismo permite a aquisição de bens e serviços pelo setor público, por meio dos governos e das autoridades locais, em áreas como educação, saúde, segurança, energia e infraestrutura.

Por sua vez, Sanchez manifestou interesse em acelerar as negociações sobre o acordo comercial e afirmou que a presidência simultânea do Brasil no Mercosul e da Espanha no Conselho Europeu é uma oportunidade de finalizar as discussões.

Durante café da manhã com jornalistas na sexta-feira 27, no qual CartaCapital esteve presente, Lula disse considerar que o acordo com a UE precisa ser concluído até o início de dezembro. As tratativas em torno do tema vêm sendo feitas desde 1999, mas até o momento nada foi ratificado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.