Política

‘Estou convencido de que a porta do Palácio foi aberta’, diz Lula sobre ato golpista

O presidente voltou a criticar a ‘conivência’ de policiais e militares durante a ação terrorista de domingo

O presidente Lula em café da manhã com jornalistas. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) voltou a apontar, nesta quinta-feira 12, a “conivência” das forças de segurança do Distrito Federal e de militares diante da ação terrorista de bolsonaristas no último domingo 8. O petista promoveu um café da manhã com jornalistas, em Brasília, agenda na qual CartaCapital esteve presente.

Lula destacou o desejo de “esperar a poeira baixar” para, na sequência, assistir às imagens gravadas de dentro dos prédios dos Três Poderes invadidos pelos golpistas: o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal.

“Teve muita gente da Polícia Militar conivente. Teve muita gente das Forças Armadas aqui dentro conivente. Eu estou convencido de que a porta do Palácio do Planalto foi aberta para que gente entrasse, porque não tem porta quebrada. Ou seja, significa alguém facilitou a entrada deles aqui”, disse o presidente.

Ele ainda promoveu investigar “com muita calma” as circunstâncias do episódio, mas repetiu críticas a integrantes das Forças Armadas.

“Nos vídeos que vi, vi soldado do Exército conversando com invasores, vi soldado do Exército cantando com invasores. Fomos obrigados a fazer intervenção na polícia do DF porque ela tinha muita responsabilidade pelo que aconteceu.”

No café da manhã, Lula também declarou ter confiança no ministro da Defesa, José Múcio, e descartou qualquer mudança no comando da pasta, responsável direta pela interlocução com o comando militar.

“É um companheiro da minha relação histórica, tenho o mais profundo respeito por ele”, resumiu o petista.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.