Política

‘Esse ministério é meu, não sai’: o recado de Lula ao Centrão sobre o Desenvolvimento Social

O presidente também voltou a blindar a ministra da Saúde, Nísia Trindade. A pasta é objeto de cobiça de partidos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Foto: Cláudio Kbene/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula afirmou que não entregará ao Centrão o Ministério do Desenvolvimento, hoje sob comando de Wellington Dias, e o Ministério da Saúde, chefiado por Nísia Trindade.

A declaração foi concedida em entrevista à Record TV, a ser exibida nesta quinta-feira 13.

“Esse ministério [do Desenvolvimento Social] é um ministério meu. Esse ministério não sai”, assegurou. “A Saúde não sai. Não é o partido que quer vir para o governo que pede ministério. É o governo que oferece o ministério. É só fazer uma inversão de valores.”

Eventuais mudanças na Esplanada, porém, “são a coisa mais natural do mundo”, segundo o presidente. As possíveis trocas só aconteceriam após o recesso parlamentar, em agosto.

“O que pode acontecer, a partir das férias dos deputados, é que alguns partidos políticos queiram vir a fazer parte da base do governo. Se esses partidos tiverem a decisão de vir participar do governo, nós vamos ter que fazer o manejamento no ministério”, prosseguiu. “Não é nem uma reforma, é apenas acomodação de alguns partidos que ficaram fora, mas que querem participar.”

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.