Política

Crise no PDT: Cid rechaça diálogo com a direção do partido e diz não respeitar Lupi e Figueiredo

O senador, irmão de Ciro Gomes, foi destituído do comando do diretório no Ceará pela Executiva Nacional

O senador Cid Gomes. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O senador Cid Gomes, destituído da presidência do diretório do PDT no Ceará pela Executiva Nacional, afirmou nesta quinta-feira 9 que não dialogará mais com o comando da sigla.

Ele mencionou diretamente Carlos Lupi, ministro da Previdência e presidente nacional licenciado do PDT, e o deputado federal André Figueiredo (CE), presidente nacional em exercício.

“Se o Lupi me ligar agora, eu não atendo, porque eu não respeito mais. Se o André me ligar, eu não atendo, porque não respeito mais. Eles não são democratas”, disparou Cid. “Eles não têm a menor noção do que é democracia, de respeitar a vontade da maioria.”

As declarações foram concedidas após participação na 26ª Conferência da União Nacional de Legisladores e Legislativos Estaduais, em Fortaleza.

Procurado por CartaCapital, Figueiredo disse lamentar as afirmações de Cid.

“Mesmo com posições bem divergentes, e com as inúmeras tentativas de destruir o PDT (que é minha única casa política há 39 anos), eu continuo respeitando ele, porque a verdadeira democracia é o respeito a quem discorda de você”, respondeu.

A reportagem também procurou Carlos Lupi, mas ainda não obteve resposta. O espaço segue aberto.

Nesta semana, o PDT divulgou um documento a apontar o ex-governador Ciro Gomes como o responsável pela proposta de intervenção da diretoria nacional na seção do Ceará, ocorrida em 27 de outubro.

A ação acontece em meio a uma disputa entre os irmãos Ciro e Cid e envolve, entre outros pontos, discordâncias sobre a estratégia de se aliar ou não ao PT nas eleições municipais de 2024. A crise, porém, se intensificou no ano passado, devido a divergências em torno da disputa pelo governo cearense.

A ata da reunião extraordinária da Executiva Nacional do PDT em que a intervenção ocorreu registrou o momento em que “Ciro sugere que a única forma de conciliação seria a nacional estabelecer uma dinâmica e intervir com uma comissão executiva mista no diretório pedetista do estado do Ceará”.

Ciro chegou a afirmar que a relação com Cid, neste momento, é “a pior possível”. O ex-presidenciável defende a reeleição de Sarto Nogueira (PDT) para a prefeitura de Fortaleza, enquanto o senador busca uma aliança com o governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.