Política

Alckmin sinaliza participação ativa na campanha para eleger Haddad em São Paulo

O ex-tucano planeja, inclusive, acompanhar o candidato petista em agendas; Alckmin ainda não respondeu a convites de PSB e Solidariedade

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Foto: Nelson Almeida/AFP
O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Foto: Nelson Almeida/AFP
Apoie Siga-nos no

A menos de nove meses do pleito, o cenário eleitoral se destrava parcialmente à base de articulações nos bastidores e cautela à frente de câmeras e microfones. No campo da esquerda, o PT avança para contar com o apoio do PSOL e mantém as negociações com o PSB, sigla que, por sua vez, tenta atrair o ex-tucano Geraldo Alckmin. O movimento tende a beneficiar diretamente Fernando Haddad (PT) em sua tentativa de conquistar o governo paulista.

Alckmin tem em mãos, além do convite do PSB, uma oferta de filiação ao Solidariedade, do deputado Paulinho da Força (SP). Há petistas que, em caráter reservado, não abandonam o desejo de que o ex-governador de São Paulo se filie ao PSD, de Gilberto Kassab. Em qualquer legenda, no entanto, Alckmin tem o nome fortemente ligado à posição de vice na chapa presidencial encabeçada por Lula.

Embora PT e PSB tenham avançado nas tratativas sobre estados-chave, como Pernambuco e Rio de Janeiro, o jogo em São Paulo segue em disputa, já que os petistas não abrem mão de lançar Haddad – líder das pesquisas sem Alckmin – e os pessebistas insistem no nome de Márcio França. Haddad, porém, ganhou um apoio de peso, segundo interlocutores de seu partido: o do próprio Alckmin.

Reservadamente, como é de seu feitio, Alckmin indicou a Haddad que tende a manter uma participação ativa na campanha do petista rumo ao governo paulista. O ex-tucano planeja, inclusive, acompanhar Haddad em agendas pelo estado. A informação foi publicada pelo jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles, e confirmada por CartaCapital.

No âmbito nacional, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, reforçou na semana passada o apoio à candidatura de Lula. “Temos de estar à altura do momento político”, disse a jornalistas após um encontro com a presidenta petista, Glesi Hoffmann, em Brasília.

O grande entrave, porém, envolve a formação de uma federação entre as duas legendas, o que levaria à necessidade de candidaturas únicas a governos estaduais, por exemplo.  Na sexta-feira 21, o presidente do PT paulista, o ex-ministro Luiz Marinho, repetiu em entrevista a CartaCapital: “Tenho certeza de que o candidato em São Paulo será o Fernando Haddad. Vamos consolidar esse processo com o PSB e o Haddad sendo o candidato a governador.”

Também na sexta, Alckmin disse aprovar a declaração de Lula sobre uma aliança entre os dois para as eleições presidenciais deste ano. Na quarta-feira 19, o petista defendeu a formação da chapa.

“Achei positivo, bom”, disse o ex-tucano à Folha de S.Paulo em uma padaria da capital paulista. Dois dias antes, Lula afirmou que “não existe nenhum problema” na composição da chapa.

“Nós vamos construir um programa de interesse para a sociedade brasileira. Não abro mão de que a prioridade é o povo brasileiro. Espero que o Alckmin esteja junto, sendo vice ou não sendo vice, porque me parece que ele se definiu em fazer uma oposição não apenas ao Bolsonaro, mas ao ‘dorismo’ aqui em São Paulo”, declarou o ex-presidente, líder das pesquisas de intenção de voto, em entrevista a sites e blogs progressistas.

Leonardo Miazzo

Leonardo Miazzo Editor do site de CartaCapital. Twitter: @leomiazzo

Tags: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.