Justiça

Lewandowski suspende PRF que ensinou a criar ‘câmara de gás’ em viatura

Segundo portaria, a punição foi aplicada porque Ronaldo Bandeira violou o ‘dever de lealdade’ à instituição

Policial Ronaldo Bandeira, da PRF-SC, investigado após a revelação de um vídeo em que ele ensina os alunos a fazer uma "câmara de gás" em uma viatura — Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, determinou a suspensão por 90 dias do policial rodoviário federal Ronaldo Bandeira, servidor da PRF em Santa Catarina. A penalidade decorre de um procedimento administrativo disciplinar aberto após o agente ensinar futuros integrantes da corporação a montar uma “câmara de gás” em viaturas.

A punição consta da edição do Diário Oficial da União da última segunda-feira 22. De acordo com a portaria, a suspensão foi aplicada porque Bandeira violou o “dever de lealdade” à instituição.

O vídeo que deu origem à investigação interna na PRF foi gravado durante uma aula para alunos de um curso preparatório para concursos públicos. Nas imagens, o servidor mostra como torturar pessoas detidas na viatura, utilizando spray de pimenta.

Esse procedimento é semelhante ao utilizado por três PRFs em Sergipe, em maio de 2022, quando Genivaldo Santos foi torturado e asfixiado até a morte. Os responsáveis pela abordagem foram indiciados por homicídio triplamente qualificado e irão a júri popular.

Na aula, Bandeira ainda relatou aos alunos uma de suas supostas experiências com o método. “A gente estava na parte de trás da viatura, ele ainda tentou quebrar o vidro da viatura com chute. Ficou batendo o tempo todo”, afirmou. “A pessoa fica mansinha. Daqui um pouco só escutei: ‘vou morrer! Vou morrer’. Aí eu fiquei com pena, cara. Abri [e falei] assim: ‘tortura!’, e fechei de novo.” O professor concluiu dizendo: ‘Sacanagem, fiz isso, não”.

O procedimento interno indica que a vítima do episódio descrito na aula confirmou as agressões na abordagem policial. Ao fim das apurações, a Corregoria da PRF se manifestou pela demissão de Bandeira. Lewandowski, entretanto, optou por uma pena mais branda.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo