CartaExpressa,Política

Marco Aurélio: ‘Não vejo como a CPI tenha aprovado a convocação de governadores’

Marco Aurélio: ‘Não vejo como a CPI tenha aprovado a convocação de governadores’

O ministro Marco Aurélio Mello. Foto: Nelson Jr./STF

O ministro Marco Aurélio Mello. Foto: Nelson Jr./STF

O ministro Marco Aurélio Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, criticou a convocação de governadores pela CPI da Covid, sob o argumento de que caberia à Justiça de cada estado analisar a ocorrência de eventuais irregularidades cometidas durante a pandemia.

“Eu não vejo como tenham aprovado agora a convocação de governadores. Eu creio que tem alguma coisa equivocada em termos de atuação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Mas precisamos aguardar qual vai ser o convencimento da maioria que virá a se formar no âmbito do Supremo. Continuo convencido de que CPI federal, existente na Câmara ou no Senado, não pode convocar governador”, afirmou o ministro em entrevista ao historiador Marco Antônio Villa, no YouTube.

“Claro que a CPI atua na investigação, mas quando se tem um envolvimento com o investigado e governador de estado, a seara para apurar se há responsabilidade é outra”, completou.

Na quarta-feira 26, a CPI aprovou a convocação dos governadores Wilson Lima (AM), Helder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Carlos Moises (SC), Antonio Oliverio Garcia de Almeida (RR), Waldez Góes (AP), Marcos José Rocha dos Santos (RO) e Wellington Dias (PI); e de Wilson Witzel (ex- governador do RJ).

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem