CartaExpressa

Lula sobre Milton Ribeiro: Tem direito à defesa, mas foi um ministro ruim

Em entrevista a uma rádio de Manaus, petista ainda criticou as políticas públicas do governo Bolsonaro para a Amazônia

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Lula (PT) ressaltou que antes de qualquer condenação do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, preso pela Polícia Federal na quarta-feira 22, é preciso que ele seja investigado.

Em entrevista à Rádio Difusora de Manaus (AM) nesta quinta-feira 23, o petista pontuou, no entanto, que Ribeiro foi um ministro ruim.

“Aquela reunião distribuindo dinheiro para pastor é uma vergonha nacional”, afirmou Lula. “A prisão depende de apuração, de prova. Você não pode prender porque vai prender. Não. Você tem prova contra o cidadão? Está provado que ele roubou? Você faz um processo e aí a Justiça decide se vai prender ou não. Eu defendo o direito à defesa para todo mundo”.

A operação contra Ribeiro foi autorizada pela 15ª Vara Federal do Distrito Federal e apura crimes como corrupção e tráfico de influência durante a sua gestão no MEC.

Na conversa, o ex-presidente, que foi condenado à prisão pelo ex-juiz Sergio Moro em 2017 no âmbito da Operação Lava Jato, declarou ainda que “o direito à defesa é um valor monumental da democracia neste País”.

“Eu não sei se (ele) já foi investigado, se tem uma autorização da Justiça para prender. Mas que ele foi um ruim ministro da Educação, ele foi”, acrescentou Lula sobre o ex-ministro.

O PT, logo após a detenção de Ribeiro, protocolou no Supremo Tribunal Federal uma notícia-crime em que pede uma investigação do presidente Jair Bolsonaro (PL) sobre as suspeitas que recaem sobre o ex-ministro.

Na ação, partido diz que presidente ‘tinha total controle e dominava toda a empreitada delituosa’ no Ministério da Educação.

Mortes de Dom e Bruno

Na conversa, o petista ainda criticou as políticas públicas do governo federal para a Amazônia, prometeu reunir os presidentes de países que fazem fronteira com o Brasil para debater o combate ao tráfico na região e garantiu que não haverá mineração em terras indígenas.

“A política dele não é cuidar, é descuidar, não é preservar, é desmatar”, disse Lula sobre Bolsonaro. “Um presidente que vai a Manaus fazer motociata da forma mais irresponsável possível”, comentou o ex-presidente sobre a falta de empatia do ex-capitão aos assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Araujo.

 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.