Sustentabilidade

Ambientalistas pedem que COP28 anuncie formalmente o abandono das energias fósseis

Uma coalizão internacional de mais de 100 ONGs pediu, nesta segunda-feira (13), uma “decisão formal” e não apenas compromissos voluntários, sobre a eliminação das energias fósseis durante a COP28, que será inaugurada no final deste mês em Dubai. “O sucesso da COP28 será medido pela […]

Ativistas levantam uma faixa que diz "Pessoas vs. Combustíveis Fósseis" enquanto o Presidente dos EUA Joe Biden faz um discurso durante a conferência climática COP27 na cidade egípcia de Sharm el-Sheikh, no Mar Vermelho, em 11 de novembro de 2022 — Foto: AHMAD GHARABLI / AFP
Apoie Siga-nos no

Uma coalizão internacional de mais de 100 ONGs pediu, nesta segunda-feira (13), uma “decisão formal” e não apenas compromissos voluntários, sobre a eliminação das energias fósseis durante a COP28, que será inaugurada no final deste mês em Dubai.

“O sucesso da COP28 será medido pela sua capacidade de chegar a um acordo sobre um pacote de energia abrangente”, que inclua um compromisso sobre “a eliminação de todas as energias fósseis (carvão, petróleo e gás) em todos os setores”, alertam as associações em uma carta dirigida ao presidente da COP28 (que será realizada de 30 de novembro a 12 de dezembro), Sultan Al Jaber.

Segundo elas, isto deverá traduzir-se na ausência de novos projetos fósseis e em uma diminuição “urgente” da sua produção e utilização durante esta década.

A carta é assinada por inúmeras organizações comprometidas com a defesa do meio ambiente em todo o mundo, como 350.org, CAN (Rede de Ação Climática), Friends of the Earth US, Greenpeace International, entre outras.

Elas defendem também a triplicação das energias renováveis até 2030, a duplicação dos benefícios da eficiência energética e o aumento significativo do financiamento dos países ricos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo