Taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil tem ligeira alta, diz Imperial College

A cada 100 pessoas contaminadas, a doença é transmitida para outras 96

Créditos: EBC

Créditos: EBC

Saúde

A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil teve uma ligeira alta para 0,96, de acordo com levantamento do Imperial College de Londres, atualizado nesta terça-feira 27. Quando o valor fica abaixo de 1, a taxa de contágio indica tendência de estabilização.

Isso significa que, no Brasil, a cada 100 pessoas contaminadas, a doença é transmitida para outras 96.

Na semana passada, o índice estava em 0,95. No levantamento divulgado em 13 de julho, a taxa chegou a 0,88, a menor registrada no País desde novembro de 2020.

Este fator é um dos principais referenciais para acompanhar a evolução de epidemia da Covid-19 nos países. No entanto, especialistas costumam ponderar que é preciso acompanhá-la por um período prolongado de tempo para avaliar cenários e tendências, levando em conta o atraso nas notificações e o período de incubação do coronavírus.

Por ser uma média nacional, o Rt também não indica que a doença esteja avançando ou retrocedendo da mesma forma nas diversas cidades, estados e regiões do Brasil. Além disso, a universidade britânica afirma que a precisão das projeções varia de acordo com a qualidade da vigilância e dos relatórios de cada país.

Quanto ao número de óbitos, o Imperial College também projeta que o Brasil deve registrar 8.070 mortes pela Covid-19 nesta semana, um aumento em relação à anterior, quando foram contabilizados 7.942 óbitos pela doença.

Embora a taxa de letalidade seja alta, em torno de 3%, segundo o último Boletim Observatório Covid-19 Fiocruz, o ritmo das mortes pela doença no País está diminuindo.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem