Política

Queiroga quer levar a audiência pública uma cartilha do governo que desinforma sobre o aborto

O texto, disponível em plataforma do Ministério da Saúde, ignora a lei ao afirmar que ‘todo aborto é um crime’

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Evaristo Sá/AFP
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que promoverá uma audiência pública sobre uma cartilha editada pela pasta que desinforma e cria obstáculos para o acesso ao aborto legal no País.

O documento, intitulado Atenção técnica para prevenção, avaliação e conduta nos casos de abortamento, está disponível no site do ministério e tem como editor-geral Raphael Câmara Medeiros Parente, secretário nacional de Atenção Primária. A cartilha mente ao alegar que “não existe aborto ‘legal'”.

Diz um trecho da redação: “Não existe aborto ‘legal’ como é costumeiramente citado, inclusive em textos técnicos. O que existe é o aborto com excludente de ilicitude. Todo aborto é um crime, mas quando comprovadas as situações de excludente de ilicitude após investigação policial, ele deixa de ser punido, como a interrupção da gravidez por risco materno”.

Nem todo aborto, porém, é um crime. O artigo 128 do Código Penal dispõe sobre as ocasiões em que a interrupção da gravidez é legal. Diz a redação que “não se pune o aborto praticado por médico”:

  • “I – se não há outro meio de salvar a vida da gestante;
  •  II – se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal”.

Em 2012, o Supremo Tribunal Federal decidiu também que a interrupção da gravidez de um feto anencéfalo sequer pode ser chamada de aborto. Na ocasião, alguns ministros se referiram ao julgamento como “o mais importante de toda a história da Corte”.

Questionado pelo site g1 sobre a cartilha que reproduz desinformação, Marcelo Queiroga não indicou disposição de revogar a publicação. Acrescentou que o tema deverá ser discutido em audiência pública, sem data prevista, na qual “todas as correntes de pensamento serão convidadas”.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.