Vereadores de Araraquara rejeitam pedido de cassação de Edinho Silva, do PT

Votaram a favor do requerimento apenas os vereadores do Patriotas e do Podemos

Foto: EBC

Foto: EBC

Política

Por 13 votos a 4, os vereadores de Araraquara (SP) rejeitaram o requerimento de investigação e cassação do mandato do prefeito Edinho Silva (PT), em sessão da Câmara Municipal realizada nesta terça-feira 3. O pedido de impeachment teve como base denúncias de supostas irregularidades na aquisição de respiradores durante a pandemia.

O requerimento, assinado por Wagner Tadeu Silva Prado, o Cel. Prado (Podemos), que concorreu a vice-prefeito nas eleições de 2020, foi protocolado na segunda-feira 2, com a presença do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Votaram a favor do requerimento Marchese da Rádio, Carlão do Joia e Marcos Garrido, os três do Patriotas, e Lineu Carlos de Assis, do Podemos.

O vereador Paulo Landin (PT) chamou o pedido de impeachment de “tentativa de 3º turno” pela chapa derrotada nas eleições municipais. Salientou ainda que há uma Comissão Especial de Inquérito na Câmara para investigar a mesma denúncia e denominou de “invasão” a entrada do grupo que protocolou o pedido.

Já a vereadora Luna Meyer (PDT) disse que o requerimento era “patético” e promovia uma bandeira política para as próximas eleições.

O presidente da Câmara, Aloísio Boi (MDB), afirmou se sentir desconfortável em presidir a sessão, que ele considerou um desrespeito à Câmara, uma vez que uma comissão já investiga a denúncia. Chamou ainda de “baderna” a apresentação do pedido na segunda-feira, considerada por ele um desrespeito aos vereadores, que não tiveram tempo de analisar o pedido que, obrigatoriamente, deveria ser votado nesta terça.

Os vereadores Lucas Greco (PSL) e Guilherme Bianco (PCdoB) também ressaltaram que há uma comissão na Câmara, além de investigações sendo realizados pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas da União.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem