Justiça

STF mantém multa contra coligação de Bolsonaro por site contra Lula

No STF, a defesa da coligação alegava que o endereço era apenas de reprodução de notícias jornalísticas

Foto: Sergio Lima / AFP
Apoie Siga-nos no

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal manteve decisão do Tribunal Superior Eleitoral que multou em R$ 75 mil a Coligação de Jair Bolsonaro (PL) pelo pelo impulsionamento irregular de site que divulgava propaganda eleitoral negativa contra o agora presidente Lula (PT) em 2022.

A decisão se deu por unanimidade na sessão virtual finalizada nesta terça-feira 17. As irregularidades apontadas pelo TSE foram a falta de indicação do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) do contratante e de alerta de que se tratava de propaganda eleitoral.

Além da ausência de comunicação prévia à Justiça Eleitoral do endereço eletrônico. O TSE explica que o impulsionamento de conteúdo na internet somente é admitido para promover ou beneficiar candidatos ou seus partidos. Isso significa que é vetada a amplificação de alcance de propaganda crítica ou negativa contra adversários.

Multas

Assim, a coligação foi multada em R$ 60 mil por violação das regras que tratam da divulgação de conteúdos durante as eleições; em R$ 5 mil por desrespeito às regras de propaganda eleitoral na internet.

Além de R$ 10 mil por descumprimento de decisão do TSE que havia proibido o impulsionamento e determinado à coligação que informasse o site como uma de suas páginas oficiais de campanha.

No STF, a defesa da coligação alegava que o endereço era apenas de reprodução de notícias jornalísticas e não de conteúdo extraído de site reconhecido nos autos como oficial da campanha de Bolsonaro.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo