Política

Satisfação de morar no Brasil salta de 59% para 74% em um ano, aponta Datafolha

Segundo o levantamento, o sentimento de orgulho de ser brasileiro subiu de 77% para 83%

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Uma pesquisa Datafolha publicada nesta sexta-feira 8 aponta que a satisfação de morar no Brasil subiu de 59% para 74% em um ano, enquanto o sentimento de orgulho de ser brasileiro saltou de 77% para 83%.

Na prática, 74% dos entrevistados acreditam que o Brasil é um país bom ou ótimo para viver, enquanto 18% dizem ser regular e 8% afirmam ser ruim ou péssimo.

Em outro recorte, 83% dizem ter mais orgulho do que vergonha de ser brasileiro, enquanto 16% declaram ter mais vergonha. O 1% restante se refere a “outras respostas”.

O Datafolha entrevistou 2.004 eleitores em 135 cidades do País na terça-feira 5. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Avaliação do governo

Na quinta-feira 7, o Datafolha revelou que o presidente Lula (PT) fecha 2023 em estabilidade, com 38% de aprovação, enquanto 30% consideram seu trabalho regular e outros 30% o definem como ruim ou péssimo.

Na rodada anterior, de setembro, os índices eram, respectivamente, de 38%, 30% e 31%.

A avaliação de Lula é melhor entre nordestinos (48%) e quem tem menos escolaridade (50%). A reprovação, no entanto, subiu para 39% entre os que têm curso superior e ao mesmo índice entre os que moram no Sul. 47% dos brasileiros que recebem mais de 10 salários mínimos classificam o petista como ruim ou péssimo.

No grupo dos mais jovens, Lula tem 40% de avaliação regular.

O levantamento também demonstra que Lula continua a enfrentar resistência entre os evangélicos, que compõem 28% do eleitorado brasileiro. A reprovação ao petista nesse grupo é de 38%, enquanto entre os católicos esse índice é de 28% (52% da população ouvida).

No Datafolha, há uma avaliação majoritária (57%) de que Lula fez menos que o esperado em seu primeiro ano de mandato. Em março, esse índice era de 51%. Já os que acham que ele superou as expectativas oscilaram de 18% para 16% no período e os que dizem que ele fez o esperado foram de 25% para 24%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.