Política

Roberto Jefferson ataca Bolsonaro e Flávio: ‘Se viciaram em dinheiro público’

Ex-deputado pede que presidente se afaste dos filhos e diz que irá convidar Mourão para ser candidato pelo PTB

O presidente do PTB, Roberto Jefferson. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O presidente do PTB, Roberto Jefferson. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ex-deputado e atual presidente do PTB, Roberto Jefferson, divulgou uma nova carta enquanto segue preso em Bangu 8, no Rio de Janeiro. Desta vez, o dirigente partidário ‘aliviou’ as ofensas a Alexandre de Moraes, seu alvo preferido, e passou a atacar o até então aliado, Jair Bolsonaro. O texto foi divulgado na íntegra pelo jornal O Globo na quarta-feira 27.

No documento, o ex-deputado afirma que o presidente e seu filho, o senador Flávio Bolsonaro se viciaram em dinheiro público e se tornaram ‘lobos’ do Centrão. Jefferson ainda direciona ofensas a outros aliados do ex-capitão e pede que o clã Bolsonaro seja afastado do governo para reduzir a corrupção.

“O povo gostaria de ver as bestas enjauladas ou abatidas a tiros pelos caçadores. Mas o presidente tentou uma convivência impossível entre o bem e o mal. Acreditou nas facilidades do dinheiro público. Esse vício é pior que o vício em êxtase, quem faz sexo com êxtase tem o maior orgasmo ou ejaculação que o corpo humano de Deus pode proporcionar. Gozou com êxtase, para sempre dependente dele. Desfrutou do prazer decorrente do dinheiro público, ganho com facilidade, nunca mais se abdica desse gozo paroxístico que ele proporciona”, escreveu Jefferson.

Em seguida, Jefferson passa a atacar Flávio e outros aliados do atual presidente: “Bolsonaro cercou-se com viciados em êxtase com dinheiro público; Farias, Valdemar, Ciro Nogueira, não voltará aos trilhos da austeridade de comportamento. Quem anda com lobo, lobo vira, lobo é. Vide Flávio”, afirma.

“Bolsonaro precisava peitar. Se os filhos atrapalham, remova-os […]. Ruptura com a corrupção tem um peso, leva gente que nós gostamos. Mas é o que o povo espera”, diz. “Não é fácil afastar um filho, sei a dor de afastar a Cristiane. Mas o projeto político está acima das concessões sentimentais”, acrescenta ao texto.

A carta indica um rompimento do PTB com Bolsonaro, que chegou a ser convidado formalmente para integrar o partido. De acordo com o texto, Jefferson aconselha uma candidatura própria, capitaneada pelo atual vice, general Hamilton Mourão, para ser uma ‘terceira via’.

“Nosso caminho é outro. Queremos um governo dos justos, que felicite e orgulhe o povo. Um governo que não roube e não deixe roubar”, destaca o ex-deputado, ordenando em seguida que se convide Mourão para se filiar ao PTB. “Gustavo, leva a carta ao general Mourão. Convide-o para a disputa à Presidência, quem souber percorrer a terceira via, vencerá a eleição”, acrescenta.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!