CartaExpressa,Política

‘Eu sou do Centrão’, diz Bolsonaro

‘Eu sou do Centrão’, diz Bolsonaro

Foto:  Anderson Riedel/PR

Foto: Anderson Riedel/PR

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira 22 sua aliança com os partidos do Centrão, um dia depois de anunciar uma nova reforma ministerial que levará o senador Ciro Nogueira (PP-PI) à Casa Civil.

“Centrão é um nome pejorativo. Eu sou do Centrão, eu fui do PP metade do meu tempo, fui do PTB, fui do então PFL. No passado, integrei siglas que foram extintas, como PRB, PPB”, disse Bolsonaro em entrevista à rádio Banda B, de Curitiba.

“Nós temos 513 parlamentares. O tal Centrão, que o chamam pejorativamente disso, são alguns partidos que lá atrás se uniram na campanha do Alckmin e ficou, então, rotulado Centrão como algo pejorativo, algo danoso à Nação. Não tem nada a ver, eu nasci de lá”, acrescentou.

Durante a campanha eleitoral de 2018, em uma convenção do PSL, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, chamou o Centrão de “materialização da impunidade” e fez uma paródia de um samba do cantor Bezerra da Silva, insinuando que os integrantes do bloco são ladrões. “Se gritar pega Centrão, não fica um, meu irmão”, cantou no evento.

Neste ano, porém, o militar recuou e afirmou que o bloco não existe mais.

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem