Política

PT oficializa apoio a Boulos para eleição a prefeitura de São Paulo em 2024

É primeira vez na história que o PT não lançará candidato próprio para eleição municipal da capital paulista

Congresso municipal do PT, em São Paulo — Foto: Leandro Paiva
Apoie Siga-nos no

——O Partido dos Trabalhadores oficializou neste sábado 5, o apoio a candidatura de Guilherme Boulos (PSOL-SP) para a Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2024. 

A aliança PT-PSOL foi selada no congresso municipal do PT, e reuniu filiados e militantes para debater a organização partidária e tática eleitoral. Ao todo, estavam presentes delegados representando os 37 diretórios zonais da capital.

Também participaram do ato a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, os ministros Fernando Haddad, Alexandre Padilha e Paulo Teixeira e outras lideranças políticas. 

Esta é a primeira vez na história que o PT não lançará candidato próprio para eleição municipal na maior cidade do país, com 9,3 milhões de eleitores.

A formalização era aguardada há um ano e quatro meses, em 25 de março de 2022, desde quando o presidente Lula (PT) anunciou o apoio.

Um ano antes, em março de 2021, Boulos abriu mão da pré-candidatura ao governo de São Paulo depois de um acordo com Haddad, então candidato ao governo paulista.

No acordo feito entre as duas legendas, o PT ficará com a vice na chapa de Boulos. Ainda não há definição quanto a este nome. 

Articulação

Foto: Leandro Paiva

Até Boulos ser o nome do PT para a Prefeitura de São Paulo, algumas frentes questionaram essa aliança. Quem liderou este movimento contrário foi o dirigente nacional da sigla, o deputado Jilmar Tatto

Ele defende que os vereadores e pré-candidatos a vereador podem perder espaço na Câmara Municipal sem uma candidatura própria do PT na eleição. 

O movimento de queda é significativo. Na última eleição municipal, a sigla elegeu oito vereadores, um a menos do que em 2016. Enquanto o PSOL triplicou a bancada no mesmo período, saindo de duas para seis cadeiras.

Diante a resistência desse grupo, lideranças tentaram filiar Boulos ao PT, mas o líder do PSOL na Câmara rejeitou a proposta.

Por outro lado, o PT não conquista a cadeira da prefeitura paulista há seis anos, desde a eleição de Fernando Haddad. Logo, o crescimento político de Boulos é a chance de uma liderança de esquerda em São Paulo.

Com a atuação de Lula e da cúpula petista, o presidente do PT de São Paulo, Laércio Ribeiro, confirmou que a resistência “arrefeceu”. Para o dirigente disse que o partido precisa manter a frente ampla construída por Lula e que deve ter “maturidade” para ceder espaço aos aliados nas disputas municipais de 2024.

Boulos tem o apoio das federações PT-PV-PCdoB e da PSOL-Rede, e deve buscar o suporte do Solidariedade, Avante e PDT. 

Ele deve disputar a cadeira com o prefeito e candidato à reeleição Ricardo Nunes (MDB), que tem articulado apoio com o ex-presidente Jair Bolsonaro, e deve ter o PL na vice.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.