Política

PDT tenta reagir ao ‘voto útil’ e diz que Ciro estará no 2º turno

A mais recente pesquisa Ipec deu fôlego à corrida de Lula para buscar uma vitória ainda no 1º turno

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes. Foto: Flickr PDT Nacional
Apoie Siga-nos no

O PDT, do presidenciável Ciro Gomes, iniciou nesta terça-feira 13 uma reação à campanha pelo “voto útil” deflagrada pelo PT e por Lula.

Uma pesquisa Ipec divulgada na segunda 12, encomendada pela TV Globo, mostra que Lula teria 51% dos votos válidos se a eleição para a Presidência da República ocorresse hoje. Neste cenário, o petista poderia vencer a disputa ainda no primeiro turno.

Na contagem dos votos válidos, a excluir os votos nulos e em branco e os indecisos, Jair Bolsonaro (PL) soma 35%. Na sequência, aparecem Ciro, com 8%; Simone Tebet (MDB), com 4%; e Felipe D’Ávila (Novo) e Soraya Thronicke (União Brasil), com 1% cada.

Em vídeo publicado nesta terça, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou que Ciro chegará ao segundo turno e que esta seria a razão pela qual “estão tão preocupados conosco”.

“Se não tivessem essa preocupação, por que há tanta gente trabalhando para nos minar? Nos vençam no voto, isso é da democracia”, afirmou. Segundo ele, a candidatura de Ciro “é para valer do começo do fim, doa a quem doer”.

“E mais: é para vencer. Ciro vai estar no segundo turno e vai sacudir o Brasil com o Projeto Nacional de Desenvolvimento.”

Mais cedo, os perfis oficiais de Ciro nas redes sociais já haviam publicado vídeos de contestação ao “voto útil”. Em uma das peças, uma narradora pergunta: “O que você diria a alguém que mandasse você abandonar seus sonhos porque eles não são fáceis de realizar?”. Na sequência, o candidato do PDT emenda: “Para eles, voto útil é tornar o seu sonho inútil”.

Nesta terça, Lula reforçou, durante reunião virtual fechada com comunicadores que apoiam sua candidatura, que trabalha para vencer a eleição já na primeira rodada, em 2 de outubro.

“Agora, possivelmente seja necessário a gente ganhar no primeiro turno para a gente dar uma lição de moral nessa gente que não acredita em democracia e no ser humano e que não gosta de sindicalista, de negro, de mulher e de solidariedade”, discursou o ex-presidente.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo