Política

Pacheco pede a Lula que autorize GLO em meio a onda de violência no Rio Grande do Norte

Com a operação, as Forças Armadas agiriam para conter os ataques criminosos no estado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Pedro Gontijo/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), solicitou, em ofício enviado nesta sexta-feira 17, que o governo Lula (PT) determine uma operação de Garantia da Lei e da Ordem no Rio Grande do Norte. O estado passa pelo quarto dia seguido de ataques de organizações criminosas, marcados por incêndios a prédios públicos e veículos.

A instalação da GLO é uma prerrogativa do presidente da República. Com a medida, as Forças Armadas têm a responsabilidade de promover ações para conter um cenário de perturbação da lei e da ordem.

No documento, Pacheco cita a solicitação feita pelo senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) e pede o envio das tropas com base na série de relatos de violência noticiados nos últimos dias.

“Na qualidade de presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, e tomando como razões de decidir os elementos trazidos pelo ilustre senador da República do estado do Rio Grande do Norte, dadas as circunstâncias do caso concreto e a urgência do momento, formulo o pedido de envio das Forças Armadas a fim de garantir a lei e a ordem naquela unidade federada”, escreveu.

A quarta noite de ataques no estado foi marcada pelo incêndio criminoso na sede da Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. A ação atingiu o depósito de medicamentos da cidade.

Desde as primeiras horas da última terça-feira, 44 cidades do RN sofreram ações criminosas. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, pelo menos 72 pessoas foram presas.

Outros ataques ocorreram na madrugada desta sexta. Em Natal, criminosos incendiaram a guarita do Parque da Cidade. Na BR-101, na altura de Canguaretama, um grupo queimou pneus e fechou a rodovia. A madrugada também teve os incêndios de uma garagem da Polícia Militar em São Vicente e de um ônibus escolar em Pedra Preta.

O Ministério da Justiça autorizou o envio de tropas da Força Nacional ao estado. Aeronaves da Polícia Federal desembarcaram no RN nesta tarde com armamentos e mais 90 homens para reforçar a segurança.

Mais cedo, as polícias Civil, Militar e Federal deflagraram uma operação para combater crimes de tráfico de drogas e organização criminosa. Foram cumpridos 30 mandados de prisão e 24 de busca e apreensão em Natal, Parnamirim e Nísia Floresta. Entre os alvos está um dos líderes de uma facção criminosa apontado como responsável por ordenar os recentes ataques no estado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo