Justiça

MP arquiva denúncia contra Zema por reforma de estrada que leva a rancho da família

Para a deputada que acionou o órgão, as obras ‘geram favorecimento pessoal ao governador’

O governador Romeu Zema. Foto: Divulgação/Novo
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público de Minas Gerais mandou arquivar uma denúncia contra Romeu Zema (Novo) pela reforma de uma estrada que leva a um rancho de propriedade da família do governador. A obra no trecho, que liga Araxá, à fronteira com São Paulo, custará cerca de 41 milhões de reais.

O sítio está localizado em Rifaina, na divisa entre os dois estados. De acordo com o MP, a investigação não deveria prosperar porque a rodovia precisa de reparos.

“A MG-428 é uma importante via de ligação da região Noroeste de Minas Gerais e o Alto do Paranaíba com o estado de São Paulo, não sendo razoável que permaneça em precárias condições de trafegabilidade por ser a região onde vivem o governador do estado e a sua família”, diz o MP.

A decisão de arquivar a denúncia foi assinada pelo procurador Jarbas Soares Júnior, que reconheceu a existência de outras estradas no estado com urgência de reparos, mas condicionou a realização à gestão Zema.

“Ao adentrar na discussão, o MPMG passará a avaliar uma questão de fundo relativamente perigosa, o mérito administrativo. Eleito pelo povo, a decisão administrativa cabe sempre ao mandatário sendo, portanto, insindicável.”

O caso entrou na mira do MP após a representação da deputada estadual Bella Gonçalves (PSOL). Para a parlamentar, as obras “geram favorecimento pessoal ao governador” e estariam a “promover a valorização imobiliária de seus imóveis, tudo às custas dos recursos públicos”. Gonçalves afirmou que recorrerá da decisão.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo