Política

Zema diz que prefere apoiar alguém do que ser candidato a presidente em 2026

O governador de Minas Gerais se tornou um nome cotado para levar os votos de Bolsonaro na próxima disputa

Romeu Zema e Jair Bolsonaro em janeiro de 2019. Foto: Alan Santos/PR
Apoie Siga-nos no

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que prefere apoiar outro candidato nas eleições presidenciais de 2026 em vez de se lançar à disputa.

A declaração foi concedida nesta quarta-feira 12, em entrevista à GloboNews.

Apoiador de Jair Bolsonaro (PL) em 2022, Zema se tornou um dos políticos mais cotados para capitanear o eleitorado da direita, após o Tribunal Superior Eleitoral decidir tornar o ex-capitão inelegível por oito anos.

Questionado sobre como avalia o futuro da direita após a determinação do TSE, Zema disse que não tem pensado sobre as eleições presidenciais.

“O meu foco total nestes próximos três anos e meio é estar fazendo um bom trabalho à frente de Minas Gerais”, disse. “Esse projeto de Brasil, definitivamente, é algo que não está no meu radar.”

Zema não poderá mais se candidatar a governador de Minas Gerais, porque já foi reeleito em 2022, em uma chapa pura do Novo. A reeleição ocorreu no primeiro turno turno, e seu principal adversário era Alexandre Kalil (PSD), ex-prefeito de Belo Horizonte que recebia o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No início de julho, ele já havia defendido a candidatura de alguém do Sul ou do Sudeste, durante uma agenda em Curitiba. Na visão do governador, as duas regiões “representam muito da economia brasileira” e “precisam ter mais força política”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.