Política

Malafaia se posiciona sobre pastores no MEC: ‘Ministro tem que provar que é honesto, com documentos’

Pastor, considerado o principal conselheiro de Bolsonaro, não está convencido com as explicações de Ribeiro até o momento

Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube
Apoie Siga-nos no

O pastor Silas Malafaia, considerado o principal conselheiro de Jair Bolsonaro (PL), não está convencido das explicações fornecidas por Milton Ribeiro até o momento no caso envolvendo o gabinete paralelo de pastores no Ministério da Educação. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo nesta terça-feira 22, Malafaia pediu que o ministro apresente documentos que comprovem sua honestidade.

“O ministro é pastor e tem que provar sua honestidade”, disse. “Ele não pode ser genérico nas afirmações. Ele tem que mostrar com documentos o que esses dois caras pediram no ministério, se era lícito, o que foi liberado e onde o dinheiro foi parar”, cobrou Malafaia em seguida.

Os ‘dois caras’ a quem Malafaia se refere são os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, da igreja Assembleia de Deus. Os religiosos são acusados de formarem um gabinete paralelo para intermediar a liberação de verbas do MEC a prefeitos ligados à igreja. As denúncias apontam o pedido de propina de 15 mil reais e 1 quilo de ouro por um dos pastores para pagar sua atuação. Com intermediação de Gilmar e Arilton, verbas que nos trâmites regulares demoravam meses a serem liberadas, chegaram a ser empenhadas em apenas 16 dias.

A existência do gabinete e atuação dos pastores foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo e confirmada pelo ministro da Educação em áudio revelado nesta terça-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. Na gravação, Ribeiro diz que prioriza os ‘amigos dos pastores’ por um pedido direto de Bolsonaro. Ele ainda diz que, em troca, o governo receberá apoio das igrejas.

O modus operandi do gabinete paralelo também é confirmado em diversas entrevistas concedidas pelos religiosos após participação em agendas oficiais do governo federal e encontros com os prefeitos. Gilmar e Arilton têm trânsito livre nos ministérios de Brasília. Em ao menos quatro ocasiões, estiveram reunidos com o presidente.

Para Malafaia, como os envolvidos também são pastores, ‘a transparência tem que ser a máxima possível’. “[A população] já tem um preconceito quando se fala de dinheiro e de pastores”, justifica Malafaia. Na conversa, apesar da cobrança, não fica claro se o pastor pedirá a demissão de Ribeiro a Bolsonaro.

A bancada evangélica informou que irá se pronunciar oficialmente em nota nesta quarta-feira. Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), líder do grupo, alegou que iria esperar uma posição do ministro e evitou avaliar a nota divulgada por Ribeiro até o momento. Ele também buscou se afastar do chefe da pasta, alegando que Ribeiro não foi uma indicação da sua bancada.

O ‘desembarque’ de religiosos e políticos da base de apoio a Ribeiro aumentam os rumores de sua saída. Nos bastidores, notícias indicam que o Centrão pressiona a saída do ministro e pretende indicar outro aliado para a pasta. A bancada evangélica também teria interesse em nomear um indicado ao cargo. Os filhos do presidente resistem à demissão.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.