Política

Glauber Braga expulsa integrante do MBL da Câmara após discussão

A briga começou no hall de entrada do anexo III, que dá acesso ao corredor onde funcionam as comissões temáticas da Casa

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ) empurrou e retirou à força um integrante do Movimento Brasil Livre (MBL) da Câmara dos Deputados nesta terça-feira 16. A briga começou no hall de entrada do anexo III, que dá acesso ao corredor onde funcionam as comissões temáticas da Casa.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram a discussão com o influenciador Gabriel Costenaro. Nas imagens, é possível ver o integrante do MBL chamando Braga de “burro” e afirmando que a mãe dele, a ex-prefeita de Nova Friburgo (RJ) Saudade Braga, seria “corrupta”.

Assessores e parlamentares tentaram intervir, mas o bate-boca escalou. Glauber, então, passou a empurrar o influenciador para fora do prédio, enquanto proferia palavras de ordem. Do lado de fora, o deputado foi contido por algumas pessoas.

A reportagem apurou que o deputado e os integrantes do MBL envolvidos no episódio foram encaminhados ao Departamento de Polícia Legislativa (Depol).

No depoimento, ele teria dito que foi insultado por Costenaro quando passava por um corredor da Câmara. Glauber e o influenciador têm um histórico de troca de farpas – o parlamentar também relatou ter sido intimidado por ele em pelo menos outras cinco ocasiões.

“Não me arrependo de nada do que fiz. Não vou recuar pra facista de MBL”, afirmou Glauber em nota após o episódio.

Depois de expulsar o influenciador da Câmara, Glauber também chegou a discutir e trocar empurrões com o deputado Kim Kataguiri (União-SP), que foi ao DEPOL defender os integrantes do MBL envolvidos na briga.

Gravações mostram o parlamentar do Psol chamando Kim de “defensor do nazismo“, que pede para Glauber repetir a frase, dando a entender que usaria a gravação em um futuro processo.

Na sequência, Glauber se irritou com o fato do colega ter erguido a mão e começou a repetir: “Baixa a mãozinha, baixa a mãozinha”. Nesse momento, os dois deputados trocaram empurrões e são apartados por agentes da Polícia Legislativa.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo