Política

Eleições 2022: Bolsonaro diz que pretende ir a todos os debates

Apesar de admitir que irá aos debates, em alguns momentos da entrevista, o presidente chegou a usar a expressão ‘caso eu seja candidato’

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta quarta-feira, 12, que pretende ir a todos os debates da eleição presidencial deste ano. “Em 2018, eu compareci a dois e depois eu tive uma crise, eu levei uma facada, eu sobrevivi por milagre”, afirmou o chefe do Executivo, em entrevista à Gazeta Brasil, um site que o apoia.

“Eu pretendo ir a todos os debates”, disse Bolsonaro, ao ser questionado se iria a um debate na TV Globo durante a campanha eleitoral deste ano. “Pode ter certeza, quando compararmos, em especial no momento do debate, estarei muito melhor preparado, obviamente. Eu não vou ficar na armadilha de ficar discutindo, ali, besteira. A gente vai responder realmente o que nós fizemos e o que estamos deixando para o Brasil”, acrescentou.

Em alguns momentos da entrevista, o presidente chegou a usar a expressão “caso eu seja candidato”, apesar de admitir que irá aos debates na eleição.

Filiado ao PL desde novembro, Bolsonaro também voltou a justificar sua aliança com o Centrão. “Eu já fui do centro. Já fui do PP, do PTB, do então PFL. E nós estamos fazendo a nossa parte. Não é fácil”, declarou.

No começo da semana, Bolsonaro já havia justificado sua filiação ao PL, cujo líder, Valdemar Costa Neto, foi preso e condenado no escândalo do mensalão, durante os governos do PT. “Vocês votaram em um cara que foi do Centrão”, declarou.

Em julho de 2021, quando confirmou a escolha do senador Ciro Nogueira (PP-PI) como ministro da Casa Civil, Bolsonaro disse que “Centrão” é um nome “pejorativo” para se referir a esse grupo de partidos que atua no Congresso. “Eu sou do Centrão”, disse, na ocasião.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!