Mundo

Bolsonaro faz mal para a economia, meio ambiente e democracia, diz The Economist

O texto contrasta com discursos recentes do presidente e de Guedes, que afirmam que o Brasil é elogiado internacionalmente

Foto: EVARISTO SA/AFP
Apoie Siga-nos no

Um artigo da revista inglesa The Economist destacou a péssima atuação de Jair Bolsonaro no comando do governo brasileiro. De acordo com o texto publicado na quinta-feira 11, o presidente faz mal “não só ao meio ambiente, aos direitos humanos e à democracia, mas também à economia brasileira”. A publicação também faz duras críticas ao ministro da Economia Paulo Guedes.

“Guedes e Jair Bolsonaro promovem não apenas a um retorno à incontinência fiscal, mas também a outros males econômicos que têm afetado o Brasil: aumento da inflação, altas taxas de juros e baixo crescimento. E as travessuras orçamentárias, por sua vez, criaram incerteza sobre o futuro do principal programa social do país [Bolsa Família]”, diz a revista em um trecho do artigo.

A principal crítica está na obsessão do presidente e do ministro com a PEC dos Precatórios, a quebra do teto de gastos e o orçamento secreto para distribuir bilhões em emendas aos aliados. A pouca ação do governo federal para conter a alta da inflação, da taxa de juros e a inaptidão para reverter o baixo nível de crescimento do Brasil também foram destaques na revista inglesa desta quinta.

“Guedes está ajudando na ação do governo, feita por baixo dos panos, de burlar o teto constitucional de despesas públicas, estabelecido em 2016, que foi um passo crucial para disciplinar as finanças do país”, diz outro trecho.

A The Economist reitera ainda as críticas recentes feitas por outro jornal, o Financial Times, que afirmou que Bolsonaro é ‘incapaz de administrar o Brasil independentemente da pandemia e está levando a maior economia da América Latina para o buraco’.

Os textos contrastam com os discursos recentes de Bolsonaro e Guedes, que afirmam que o Brasil é elogiado internacionalmente pela sua gestão na economia durante a pandemia.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo