Política

Bolsonaro admite que voto impresso deve ser derrotado na Câmara

Para justificar a derrota, o presidente acusa o ministro Barroso de ‘intimidar’ e ‘apavorar’ os deputados pela reprovação

Foto: Sergio Lima / AFP
Foto: Sergio Lima / AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta segunda-feira 9 que a proposta de voto impresso deve ser reprovada na Câmara dos Deputados nesta semana. A declaração foi dada em entrevista à rádio Brado, da Bahia, em que Bolsonaro acusou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, de ‘intimidar’ e ‘apavorar’ os deputados para votarem contra a proposta.

“Se não tiver uma negociação antes, um acordo, vai ser derrotada a proposta. Porque o ministro Barroso apavorou alguns parlamentares e tem parlamentar que deve alguma Justiça, que deve no Supremo, né?”, afirmou.

Mais adiante na entrevista, Bolsonaro atribuiu a provável derrota à atuação do ministro e acusou Barroso de interferir no Legislativo e promover intimidação aos parlamentares.

“O Barroso apavorou. Foi para dentro do Parlamento fazer reuniões com lideranças praticamente exigindo que o Congresso não aprovasse o voto impresso”, acusou.

Segundo o mandatário, o ministro seria o grande responsável pela mudança na orientação de voto de alguns partidos. Até poucas semanas atrás, a base bolsonarista considerava que a proposta seria de fácil tramitação no Congresso.

“Alguns partidos que no passado foram favoráveis agora são contrários. Parece que o poder de persuasão, de intimidação, do Barroso está fazendo a diferença dentro do parlamento brasileiro”, destacou.

A PEC do voto impresso será apreciada em plenário ainda nesta semana, conforme prometeu o deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara. A tendência é de que o projeto seja reprovado, conforme analisaram integrantes da oposição a pedido de CartaCapital. Presidentes de partidos e parlamentares bolsonaristas também já antecipam a derrota.

Lira, em entrevista nesta manhã, destacou que Bolsonaro precisará respeitar a decisão dos deputados.

“Temos que ter o compromisso em relação ao respeito do resultado. […] O presidente Bolsonaro em uma ligação telefônica me garantiu que respeitaria o resultado do plenário. Eu espero respeito e obediência ao que o plenário da Câmara definir”, afirmou o parlamentar.

Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.