Alberto Villas

[email protected]

Jornalista e escritor, edita a newsletter 'O Sol' e está escrevendo o livro 'O ano em que você nasceu'

Opinião

Um problema de todo tamanho

Da mesma maneira que inventaram vinte tipos de arroz, dez tipos de leite e cinco tipos de molho de tomate, mexeram nos manequins

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Acabou aquela história de P, G e M. Explico: houve uma época em que os manequins eram divididos em Pequeno, Grande e Médio. Você podia ir a uma loja, comprar uma camisa M de olhos fechados e quando chegava em casa, ela caía super bem. Não tinha erro.

A pessoa é que, à medida que o tempo passava, pulava do M para o G. E pronto.

Todo mundo sabia o seu manequim, e com sapato era a mesma coisa. Quem calçava 40, bastava comprar um sapato 40 e acabou. Calçava certinho.

Mas o seu sossego acabou!

Da mesma maneira que inventaram vinte tipos de arroz, dez tipos de leite, cinco tipos de molho de tomate e noventa sabores de Fanta, mexeram também nos manequins.

Hoje, eu não tenho a menor ideia do tamanho de uma simplória camiseta da Hering que me cai bem.

L? XL? XG? XXL? LLX?

Só experimentando.

Eu agora faço assim. Entro no trocador com dez peças absolutamente iguais, da mesma cor, só variando o tal do L, XL, XXL. Vou experimentando e quando uma cai bem, é essa. Descarto nove!

Eu sempre soube que o número de calça para mim era o 42. Outro dia, peguei uma calça 42 para experimentar e percebi que ela não entrava nem nas perninhas da Olívia Palito.

Sapato, é a mesma coisa, depende da marca. Você pode ter em casa um sapato 39, um 40, um 42 e um 44, todos servindo perfeitamente no seu pé.

O All Star americano inventou o meio. Você pode comprar um tênis 39 e meio. Achei uma boa ideia. Já aconteceu com você de o tamanho 39 estar apertado e o 40, largo?

Enfim, mais um estresse pra gente enfrentar.

Agora, não me fale em ir na Hering comprar uma bermuda, um short, uma calça, uma camiseta. Pelo amor de Deus!

Este texto não representa, necessariamente, a opinião de CartaCapital.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo