Fim de Theresa May está próximo, diz mídia

Consta que 11 ministros de seu gabinete querem que ela renuncie. O jornal

Fim de Theresa May está próximo, diz mídia

Mundo

“Um grande golpe ministerial está em curso hoje à noite”, escreveu Tim Shipman, jornalista do periódico britânico Sunday Times, no fim da noite de sábado pelo Twitter.

Shipman cita conversas com 11 ministros que querem derrubar a primeira-ministra britânica, Theresa May. “O fim está próximo”, afirmou o jornalista, citando um dos ministros, mas sem mencionar nomes. “Ela vai embora em dez dias.”

May deverá ser confrontada com essa demanda em reunião de gabinete nesta segunda-feira (25/03), relatou Shipman. Ela deverá ser substituída por um chefe de governo interino, que finalize a saída do país da União Europeia (UE).

Para o posto de May, estariam sendo cogitados os nomes do vice-primeiro-ministro, David Lidington; do ministro do Meio Ambiente, Michael Gove; e do ministro do Exterior, Jeremy Hunt.

Leia também: O que você precisa saber sobre a votação do Brexit

Anteriormente, os jornais The Times e The Daily Telegraph também haviam relatado pressão para que May renunciasse, afirmando que já se falou sobre um cronograma. Autoridades do governo disseram que os relatos seriam errôneos.

Poucos dias antes da data originalmente planejada para o Brexit, a primeira-ministra enfrenta a probabilidade de uma terceira derrota na votação parlamentar sobre o acordo negociado para a saída do Reino Unido da UE. Por duas vezes, em meados de janeiro e meados de março, ela já havia fracassado no Parlamento.

Recentemente, May irritou muitos parlamentares com uma dura declaração, culpando a Câmara dos Comuns em Londres pelo iminente atraso do Brexit. “Os deputados foram incapazes de chegar a um acordo sobre um caminho para implementar a saída do Reino Unido”, disse May. Nesse contexto, ela não questionou seu próprio papel.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Compartilhar postagem