Justiça

Isabel Gallotti toma posse como ministra do TSE nesta terça-feira

Magistrada vai assumir a vaga de Benedito Gonçalves, que deixou a Corte em 9 de novembro

Ministra do TSE Isabel Gallotti — Foto: Gustavo Lima/STJ
Apoie Siga-nos no

A ministra do Superior Tribunal de Justiça, Isabel Gallotti, toma posse nesta terça-feira 21, como ministra titular do Tribunal Superior Eleitoral. Ele ocupará a vaga deixada por Benedito Gonçalves, que deixou a Corte em 9 de novembro.

Gallotti deve permanecer no tribunal durante o biênio de 2023 a 2025.

Apesar de substituir Gonçalves no TSE, Isabel Galloti não assumirá o posto de corregedora, outro cargo ocupado pelo ministro no TSE. Neste caso, a função passará para o ministro Raul Araújo, que também toma posse nesta terça-feira.

Gallotti foi indicada ao STJ pelo presidente Lula (PT) em 2010. Antes da nomeação, ela atuou como procuradora da República e desembargadora.

A ministra vem de linhagem jurídica — Antonio Pires e Albuquerque, seu bisavô, Luiz Gallotti, avô, e o pai, Luiz Octavio Gallotti — foram ministros do STF. Atualmente, ela é casada com o ministro do TCU, Walton Alencar Rodrigues.

Com a posse de Gallotti, a Corte passará a ser composta pelos seguintes ministros:

  • Alexandre de Moraes, do STF (presidente do TSE);
  • Cármen Lúcia, do STF (vice-presidente do TSE);
  • Kassio Nunes Marques, do STF;
  • Raul Araújo, do STJ (corregedor-geral da Justiça Eleitoral);
  • Isabel Gallotti, do STJ;
  • André Ramos Tavares, advogado; e
  • Floriano Peixoto de Azevedo, advogado.

A composição do tribunal eleitoral é definido pela Constituição Federal que prevê a existência de sete ministros, sendo três oriundos do STF, 2 do STJ e dois advogados indicados pelo STF e nomeados pelo presidente da República.

O mandato dos ministros da Corte é de dois anos. Após completar o período, devem deixar o posto para que outro nome seja indicado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.