Justiça

Gonet anuncia os primeiros nomes da sua gestão na PGR; veja quem são

Primeiros nomes da equipe foram anunciados por Gonet na tarde desta segunda-feira

O procurador-geral da República, Paulo Gonet. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

O novo procurador-geral da República, Paulo Gonet, assinou, na tarde desta segunda-feira 18, as portarias de nomeação de parte da equipe que o auxiliará na sua gestão como PGR.

O subprocurador-geral da República Hindenburgo Chateaubriand será o vice-procurador-geral da República. O vice-procurador-geral eleitoral será Alexandre Espinosa, e o chefe de gabinete, o procurador regional da República Carlos Mazzoco.

Também nesta segunda-feira, Gonet assinou a nomeação da procuradora regional da República Raquel Branquinho para o cargo de diretora-geral da Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU).

O também procurador regional Sílvio Amorim exercerá a função de secretário de Relações Institucionais. A pasta de Cooperação Internacional terá como secretária a procuradora regional Anamara Osório.

A equipe foi anunciada em reunião com os procuradores chefes das unidades do MPF. As portarias serão publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira 19.

Para outros postos estratégicos, os atuais responsáveis continuarão à frente das atividades.

É o caso da Secretaria-Geral da União, que segue sob o comando da subprocuradora-geral Eliana Torelly com o apoio do procurador da República Paulo Santiago, na qualidade de secretário adjunto.

Os primeiros nomes da equipe foram anunciados por Gonet na tarde desta segunda-feira, durante reunião administrativa com os procuradores chefes das unidades do MPF.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo