Editorial

assine e leia

Brasil mitológico

A democracia está na boca de todos, embora não possa vingar no país mais desigual do mundo

Bolsonaro promove a motociata na Disney de Orlando. Homenageia Mickey ou Tio Patinhas? - Imagem: Alan Santos/PR
Bolsonaro promove a motociata na Disney de Orlando. Homenageia Mickey ou Tio Patinhas? - Imagem: Alan Santos/PR
Apoie Siga-nos no

Todos falam em democracia neste país que nunca a conheceu e, sobretudo, a praticou. Em Atenas, no fim do século IV a.C., o líder Péricles tudo sabia dela e que sua eterna definição é o regime do povo para o povo e pelo povo. Dos jornalistas esportivos, alguns dotados da certeza de serem os melhores do mundo, as autoridades entre as quais destaco Arthur Lira, presidente da Câmara, figura magnífica para interpretar o filme de Kurosawa, Homem Mau Dorme Bem, sem falar de Luiz Fux, aquele que faria a felicidade do sioux em busca de escalpos, chamado a ministrar a Justiça, mas, impávido, caminha no sentido oposto. Mais um detalhe relacionado à figura: comoventes os rapapés que dedicou a Bolsonaro.

Absolvido Lula de todas as acusações apresentadas pela torpe figura de Sergio Moro, pelo próprio STF, Fux diz nestes dias: “Foi inocentado, mas corrupção houve”. De resto, como seria possível a democracia no país mais desigual do mundo, onde casa-grande e senzala incumbem-se de manter intacta a sua medievalidade. Acabrunhadora a história do poder que as Forças Armadas exercem com absoluta tranquilidade na história nativa, desde o golpe destinado a derrubar a monarquia para impor a república, da qual os primeiros presidentes foram Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, ambos generais.

Mino Carta

Mino Carta
Diretor de Redação de CartaCapital

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.