Economia

IBGE: Taxa de desemprego no trimestre é a menor desde 2015

No entanto, o número de empregados sem carteira assinada no setor privado foi o maior da série

Fila em busca de emprego (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Fila em busca de emprego (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Apoie Siga-nos no

A taxa de desemprego no trimestre encerrado em maio atingiu 9,8%, um recuo percentual de 1,4 ponto percentual em comparação com os dados de dezembro de 2021 a fevereiro deste ano.  Foi a menor taxa de desocupação registrada para o período  desde 2015 (8,3%), segundo o IBGE.

Atualmente, há 10,6 milhões de pessoas desocupadas, um recuo de 11,5% em relação ao trimestre anterior, ou seja, menos 1,4 milhão de pessoas desempregadas. Na comparação anual, o recuo é de 30,2%, menos 4,6 milhões de pessoas desocupadas.

O contingente de pessoas ocupadas (97,5 milhões) foi recorde da série iniciada em 2012, com alta de 2,4% (mais 2,3 milhões). Houve um aumento no número de pessoas que trabalham com carteira assinada no setor privado. São 35,6 milhões de pessoas, uma alta de subindo 2,8% (981 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 12,1% (mais 3,8 milhões de pessoas) na comparação anual.

No entanto, o número de empregados sem carteira assinada no setor privado (12,8 milhões de pessoas) foi o maior da série. Este contingente cresceu 4,3% em relação ao trimestre anterior (mais 523 mil pessoas) e 23,6% (2,4 milhões de pessoas) no ano.

Já a taxa de trabalhadores por conta própria (25,7 milhões de pessoas) manteve-se estável ante o trimestre anterior, mas subiu 6,4% (mais 1,5 milhão de pessoas) no ano.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.