CartaExpressa

Netanyahu afirma que não entrar em Rafah equivaleria a ‘perder guerra’ contra Hamas

O premiê israelense não deve ceder aos pedidos de cessar-fogo no sul de Gaza

Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, rejeitou qualquer "trégua temporária". Foto: Abir Sultan / POOL / AFP
Apoie Siga-nos no

Abster-se de entrar em Rafah implicaria “perder a guerra” contra o Hamas, afirmou neste sábado 17, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pressionado a interromper a ofensiva contra esta cidade do sul de Gaza onde há mais de um milhão de palestinos deslocados pelo conflito.

O premiê israelense também afirmou que o Exército entrará em Rafah mesmo que se consiga um acordo com o movimento islamista palestino Hamas para libertar os reféns capturados em 7 de outubro em Israel. 

“Mesmo que consigamos [o acordo], entraremos em Rafah”, frisou em um coletiva de imprensa transmitida pela televisão.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar