CartaExpressa

Maior bancada da Câmara, PL fecha questão contra a MP dos ministérios

Com 99 deputados, a legenda pode atrapalhar ainda mais a tentativa do governo de aprovar o texto

Antes, Neto ganhava um salário de R$ 28.758,30 como presidente do partido. Foto: Mateus Bonomi/Agif/AFP
Apoie Siga-nos no

O PL, dono da maior bancada na Câmara dos Deputados, fechou questão contra a medida provisória de reestruturação dos ministérios. A matéria deve ser votada nesta quarta-feira 31.

A decisão significa, na prática, que a legenda adotou uma posição formal sobre a MP e pode, inclusive, punir parlamentares que eventualmente a contrariem. O PL tem 99 deputados e pode atrapalhar ainda mais a tentativa do governo de aprovar o texto.

A MP tem de ser votada pela Câmara e pelo Senado até esta quinta-feira 1º – do contrário, perderá validade e, na prática, levará à extinção de 17 pastas do governo.

A Câmara só deve conseguir votar a medida provisória à noite. Havia a possibilidade de a análise começar durante a manhã ou no início da tarde, mas a dificuldade de articulação em torno do texto inviabilizou o cronograma.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar