CartaExpressa

Em gravação da PF, motorista de aliado de Lira recebe dinheiro vivo em esquema de kits robótica

Imagens das investigações da PF foram reveladas no programa Fantástico, da rede Globo

Ex-assessor de Arthur Lira, Luciano Cavalcante. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

Após a Polícia Federal (PF) ter deflagrado, na última quarta-feira 1, uma operação contra possíveis desvios de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) em Alagoas, envolvendo aliados do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o programa Fantástico, da rede Globo, revelou, no último domingo 4, um vídeo com trocas de dinheiro vivo em um estacionamento em Brasília (DF).

No vídeo, gravado no dia 17 de maio, o motorista de Luciano Cavalcante, ex-assessor de Lira e atual funcionário do PP na Câmara, encontrou um dos acusados no esquema, Pedro Salomão, no estacionamento do hotel onde estava hospedado Luciano Cavalcante. O vídeo revela que Pedro entra em um carro com uma sacola cheia, mas, ao sair, a sacola está vazia. A cena se repetiu, no mesmo dia, na Asa Sul de Brasília.

A PF encontrou 150 mil reais e o passaporte de Luciano Cavalcante no carro.

Antes dos encontros, Pedro e outra acusada de ser operadora do esquema, Juliana Salomão, aparecem em imagens da PF divulgadas pelo Fantástico realizando saques em dinheiro em bancos e casas lotéricas de Brasília.

Pedro e Juliana foram presos na última quinta-feira 1, mas conseguiram autorização para responder em liberdade. O advogado de ambos disse que eles não tiveram participação no esquema investigado pela PF.

A defesa de Luciano Cavalcante também negou a participação. Embora não tenha sido citado oficialmente na operação, Arthur Lira vem se manifestando desde o final da semana passada. Na quinta-feira, ele disse que não tem “absolutamente nada a ver com o que está acontecendo”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar