CartaExpressa,Política

Doria cobra que governadores se manifestem contra ataques ao STF

Doria cobra que governadores se manifestem contra ataques ao STF

Governadores participaram de reunião para debater a crise entre os poderes da República

O governador João Doria. Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governador João Doria. Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governador João Doria criticou o governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL) por não aderir à carta em que gestores estaduais manifestaram apoio ao Supremo Tribunal Federal diante dos pedidos de impeachment de ministros da Corte feitos pelo presidente Jair Bolsonaro.

“O que temos o dever de fazer é defender a democracia, Moisés, e não silenciar diante das ameaças que sofremos constantemente”, disse Doria durante reunião de governadores nesta segunda-feira 23 para debater a crise entre os Poderes da República. “O País sofre uma ameaça constante em relação a democracia, basta observar as manifestações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, que flerta com o autoritarismo permanentemente e muitos de seus ministros endossam isso, numa afronta aos princípios da liberdade, das instituições, da democracia.”

“Cabe a nós sim, como seres políticos, eleitos pelo voto popular, a obrigação de nos manifestar defendendo a liberdade, a democracia do nosso País, não nos cabe silenciar diante de fatos que podem colocar em risco as liberdades e os princípios constitucionais”, emendou, 

Ainda durante sua explanação Doria se referiu à manifestações do 7 de setembro como eventos ‘ruidosos’ para colocar em risco a democracia. “Caminhoneiros que estão sendo organizados por milícias bolsonaristas para fechar estradas, o estímulo pelas redes sociais para que militantes do movimento bolsonarista utilizem armas, isso não é defender a democracia, estabelecer o diálogo. Não é o momento de nós silenciarmos”, reforçou.

A nota pública dos governadores, datada de 15 de agosto, contou com a assinatura de 14 gestores estaduais: Rui Costa (BA), Flávio Dino (MA), Paulo Câmara (PE), Eduardo Leite (RS), Camiilo Santana (CE), João Azevêdo (PA), Renato Casagrande (ES), Wellington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN), Renan Filho (AL), Belivaldo Chagas (SE), Ibaneis Rocha (DF), e Waldez Góes (AM).

Na reunião, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT) sugeriu a criação de um pacto pela defesa da democracia, com apoio de outros gestores estaduais, em razão do aumento da temperatura da crise entre os poderes da República. No encontro, parte presencial e parte virtual, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) sugeriu a criação de um consórcio único de Estados, com fundo único, para propor ações climáticas. Doria aprovou a iniciativa e propôs e que consórcio seja batizado de “Brasil Verde”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem