CartaExpressa

Os elogios de Moraes a Michel Temer durante homenagem em Brasília

Ministro chegou ao STF por indicação do emedebista; Temer recebeu título de cidadão honorário de Brasília nesta quarta-feira

Moraes ao lado de Michel Temer, em 2017, quando foi escolhido pelo então presidente para ser o novo ministro do STF. Foto: Valdenio Vieira/PR
Apoie Siga-nos no

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral, fez uma série de elogios ao ex-presidente Michel Temer (MDB), durante um evento de homenagem ao emedebista no Distrito Federal, realizado nesta quarta-feira 3. Segundo Moraes, Temer seria um ‘grande presidente’ e ‘incomparável’ quando o tema é diálogo.

“Se nós olharmos na história dos presidentes da República, nós não temos nenhum presidente que se equipara com o presidente Michel Temer na qualidade de diálogo com todos os poderes”, disse o ministro do STF na cerimônia que deu título de cidadão honorário de Brasília ao ex-presidente.

Moraes elogiou, ainda, o fato de Temer seguir envolvido na política mesmo após sua saída do Planalto, em 2018.

“[Temer é] Sério, trabalhador, um presidente que transita, transitava como presidente, e continua transitando pelos três Poderes”, disse Moraes logo após chamar o emedebista de ‘grande presidente’.

“[Ele] Era o grande interlocutor com o poder Judiciário, com o Supremo Tribunal Federal, com o Superior Tribunal de Justiça, com o Ministério Público. Mais do que tudo isso, Michel Temer é um amigo leal dos seus amigos. É uma pessoa extremamente paciente, inteligente e extremamente competente”, completou, ainda, o magistrado.

Para Moraes, a gestão de Temer no Planalto, iniciado após o impeachment de Dilma Rousseff (PT), foi ‘dolosamente injustiçada’, apesar de ‘seus grandes acertos’.

“Todas as injustiças dolosas que fizeram contra o seu governo não foram capazes de apagar as marcas, as reformas que foram aprovadas”, afirmou Moraes no discurso de homenagem ao ex-presidente.

Moraes, importante dizer, chegou ao Supremo Tribunal Federal por indicação de Temer, em 2017. Antes, ocupou o cargo de Ministro da Justiça no governo do emedebista após um período como secretário em São Paulo em três setores e duas gestões diferentes: Justiça, Segurança Pública e Transportes nos governos de Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.