Governadores marcam reunião na segunda para debater crise entre governo e STF

Reunião em meio a clima de 'tensão' terá como pauta 'a defesa da democracia', dizem gestores estaduais

O ministro Alexandre de Moraes, em sessão. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Alexandre de Moraes, em sessão. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Justiça,Política

Governadores agendaram uma reunião para a segunda-feira 23 em que pretendem debater a crise entre os Poderes da República, após o presidente Jair Bolsonaro apresentar, ao Senado Federal, um pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

 

 

Em nota, os gestores estaduais citaram o clima de “tensão” entre os Poderes e informaram que a pauta será “a conjuntura atual e a defesa da democracia”, com discussão sobre “a necessidade de integração entre Poder central, estados e municípios” em meio à pandemia. Declararam, ainda, que pretendem pautar o pacto federativo, a reforma tributaria e projetos para a sustentabilidade ambiental.

A reunião vai se dar no âmbito do Fórum Nacional de Governadores. O movimento se da no meio de uma avalanche de críticas contra o ato do presidente da República em pedir o impeachment do ministro do Supremo.

Em nota conjunta, neste sábado 21, dez ex-ministros da Justiça pediram que o Senado rejeite o pedido de impeachment e afirmaram que não há razões para a instauração do processo contra Alexandre de Moraes.

A Associação dos Magistrados Brasileiros e a Associação dos Juízes Federais do Brasil também rechaçaram o pedido de Bolsonaro. As entidades classificaram o ato como “ataque frontal à independência e à harmonia entre os Poderes” e declaram esperar que o Senado saiba “reagir a toda e qualquer tentativa de rompimento do Estado de Direito e da ordem democrática”.

Na sexta-feira 20, o STF manifestou repúdio a Bolsonaro pelo pedido de impeachment e disse que o Estado Democrático de Direito “não tolera que um magistrado seja acusado por suas decisões”.

O pedido de Bolsonaro foi protocolado após Moraes autorizar o cumprimento de operações de busca e apreensão contra aliados do governo. Entre os alvos dos mandados, estava o cantor Sérgio Reis. Por decisão de Moraes, o presidente da República também é investigado no âmbito do inquérito das fake news.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem